sexta-feira, 30 de abril de 2010

"Exigentes? Nós?" by Kitty Fane

Bem...a Kitty pediu e as meninas contribuíram para os requisitos mínimos do homem de sonho.
Não podia deixar de colocar aqui o estudo...

"...o que nós gostamos num homem é basicamente isto:
-sorriso discreto
-bom conversador
-que tenha gestos masculinos
-que não hesite
-másculo mas que não seja bronco
-cabecinha no lugar e não ache aos 25 anos que ainda pode ser jogador de futebol
-sorriso e olhar misteriosos
-alto
-educado
-que saiba falar
-inteligente
-trabalhador mas valorize a vida pessoal
-que tenha amigos e interesses próprios que não futebol e playstation
-que faça desporto
-que saiba cozinhar
-ego suficientemente grande para não precisar flirtar com qualquer rabo de saia para se sentir o maior
-culto
-bom gosto musical
-criativo
-dinâmico
-arrojado
-empreendedor de forma realista e que alcance efectivamente o sucesso
-aventureiro
-independente
-que tenha PINTA...resmas dela
-personalidade forte e atitude
-ligeiramente arrogante
-corpo levemente musculado
-sentido de humor
-perspicaz e inteligente
-que cheire bem mesmo depois de ter corrido 30 min
-pele morena
-discreto
-firme mas delicado
-bom sentido de orientação
-mãos grandes
-que escreva muito bem
Isto é pedir muito? Isto são os mínimos."
http://amorumlugarestranho.blogspot.com/2010/04/exigentes-nos.html

Alguém adivinha quais foram os requisitos dados pela B.?
É fácil...

Eventos


Acabei de perceber o dinheiro que vou gastar em eventos este ano...ando maluca!!!

Vou oficialmente ver a Lady GaGa...até gostei um bocadinho mais dela quando ouvi o "bad romance" hoje...sei lá, a R. pôs a música a fazer todo o sentido!! Essa e o "telephone"...
E vou a fazer companhia as irmãs B...vai ser giro!
Mas ela continua a meter-me medo, é tetrica...espero que passe até Dezembro!!

E de repente vou a 2 dias do Estoril Open...assim sem saber ler nem escrever. A A. liga-me ontem, na sua ingenuidade:
A.: "Estava-te a ligar porque tenho convites para o Estoril Open e tinhas dito que gostavas de ir. É para Sábado, mas não é para este é para o próximo, ok?"
B.: "A. estás a querer dizer que tens bilhetes para a semi-final do Estoril Open? E estas a ligar para me convidar para ir contigo?"
A.: "Ahhhh, sim estou. Mas digo-te já que....bla bla bla"

A. és a minha pessoa preferida do MUNDO todooooo...hehehehe

E depois há o concerto de Ana Carolina, que é dia 3 de Julho, e Pearl Jam dia 10 Julho, e Bublé...ai ai ai...olha, que seja! Que eu preciso é de me distrair!

E sim, continuamos no modo não falar, não escrever, não pensar. Não me apetece, não posso!
I'm enjoying the silence...
P.S: A adorar alias.

quinta-feira, 29 de abril de 2010

Não, este blog não está a ficar sério...


Eu é que não posso exprimir mais nada...

Se começar a escrever tudo aquilo que estou a pensar ou a sentir os meus dedos vão ganhar vida própria e vai sair asneira...e não me parece que isso possa acontecer!!

Prometo que voltará tudo ao lugar, mas a seu tempo.
O problema não está ultrapassado, definitivamente! Pelo menos não, enquanto o meu cérebro não parar de me fazer isto.

Shame on you B.
P.S: I'm a stupid, stupid person!

Rating

Parece-me que o pais está virado do avesso com esta historia do downgrade do rating...

Será que alguém sabe o que isso significa na realidade?
Será que os senhores que estão a fazer greve à 3 dias sabem que se o pais entrar em default, até pode ser que não haja como lhes pagar o ordenado?
(O que era muito bem feito, se eu não vier trabalhar não me pagam...parece-me justo)
Será que eles percebem a gravidade daquilo que estão a fazer em termos de longo prazo?
Alguém se deu ao trabalho de perceber que se entrarmos em bancarrota vamos demorar pelo menos 30 anos a recuperar (que foi o que nos aconteceu no final do século XIX)?
Saberão os senhores que estão a contribuir para que o pais não produza, e que a única maneira de este Portugal não ir pelo cano é trabalhando, tão afincadamente e eficientemente quanto possível?

A serio que a falta de raciocínio desta pessoas espanta-me...
Em altura de vacas gordas, façam as greves que quiserem, reinvidiquem os vossos direitos todos e tudo e tudo e tudo (alias os senhores trabalhadores da Galp que fizeram greve, eu até acho que fizeram muito bem, com a quantidade de lucros que a empresa teve é inaceitável a situação)...mas nesta altura?! Devíamos estar todos a tentar remar para o mesmo lado...isto é para sairmos deste buraco onde estamos a cair, cada vez mais fundo!
Já pensaram que é o estado que paga o ordenado? E quando o estado não tiver? Não só deixam de trabalhar durante 3 dias como deixam de trabalhar durante muito muito tempo!!

E pior, não trabalham nem deixam trabalhar quem quer! Demorei 1.30h a chegar ao trabalho ontem, 1.30h que podia estar a produzir e estive parada no transito!!!
Pode-se alegar que há para uns e não há para outros e bla bla bla...agora a serio, diferenças sociais sempre houve, gente que é corrupta e que rouba daqui e dali sempre existiu, mais vale resignarmos-nos logo a isso e acabou. Estar a tentar lutar pela igualdade neste casos é tão ingénuo, tão naive...
Mas se trabalharmos, se formos o melhor que conseguirmos ser, se produzirmos, se não nos encostarmos em subsídios e apoios, ai sim...ai conseguimos uma vida melhor, ai mostramos o nosso valor, ai tentamos sair do buraco!!

O rating do pais desceu, é verdade...e isso tem implicações em muitos níveis. Basicamente é tudo acerca de percepção, e a percepção dos outros sobre nós neste momento, é que a qualquer altura vamos não ter mais moedas na carteira para lhes pagar. As torneiras vão-se fechar, em vez de nos unirmos separamos-nos, em vez de produzirmos fazemos greve, em vez de arregaçarmos as mangas e fazermos qualquer coisa pomos a culpa no governo e praguejamos...
Realmente acho que é isso que vale a pena...sim senhor, uma salva de palmas, não só para os governos que nos fizeram chegar aqui, como às pessoas encostadas aos apoios que não fazem nada (parasitas a meu ver!!) . O pior é que ao contrario de à um século atrás, se entrarmos em bancarrota não vai haver ninguém que nos salve!

quarta-feira, 28 de abril de 2010

That's just the way it's is

Ontem revi este episódio:

http://aculpanaoeminhaetua.blogspot.com/2010/02/mcsteamy.html

Parte preferida:
MARK: How's my favorite dirty mistress?
MEREDITH: No, now I'm an adulterous whore!

O que é que vem primeiro o ovo ou a galinha?
Aiii a fritura das 3h de sono!

Acho que por hoje é tudo. Quem sabe amanhã...

terça-feira, 27 de abril de 2010

Diz-lhe logo

Ontem li isto num mural...achei lindo!

"Diz-lhe que gostas dela.
Diz-lhe logo.
Deixa-te de merdas.
De palavras meias, e desses truques todos em que já ninguém acredita.
Diz-lhe tudo.
Diz-lhe que estás diferente.
Que o mundo mudou e tu foste mudando com ele.
Conta-lhe das viagens e dos sonhos que foste realizando.
Do armário cheio de histórias, e de todos os planos que foste fazendo em silêncio.
Conta-lhe dos anéis, das flores já mortas e das cartas.
Dos desejos que ao longo deste tempo tens deitado ao lixo...
Chega de palavras.
De encontros falhados e cobardias.
Não a deixes fugir de novo, agarra-a pelo braço.
Grita-lhe aos ouvidos, pede-lhe que te oiça por um segundo.
E se for um estalo o que recebes, dá o teu pior lado.
O outro tem de estar perfeito para os seus beijos.
Não esperes a noite perfeita, a hora em ponto para lhe dizeres o que sentes.
Esquece o brilho dos sapatos, o sorriso de plástico.
As mentiras ao espelho.
Diz-lhe hoje, amanhã e enquanto for preciso.
Fá-la sentir especial todos os dias.
E um dia terás o teu segundo.
Podes contar-lhe das viagens e do armário cheio de histórias.
E de como te dói o rosto de todos aqueles estalos.
Ela vai sorrir.
E dizer que gosta de ti. "
J.N.

Foi pena não ter podido comentar!!

Absolutely positive


Assim a jeito de Eclipse...

"About three things I was absolutely positive.
First, Edward was a vampire.
Second, there was part of him — and I didn’t know how potent that part might be — that thirsted for my blood.
And third, I was unconditionally and irrevocably in love with him."

Boa B., you go girl...

segunda-feira, 26 de abril de 2010

O poder da sugestão...


Acabei de ver o episodio de FlashForward desta semana e questiono-me sobre o poder da sugestão...

Será que se nos virmos apaixonados por X pessoa daqui a 3 meses, isso acontece mesmo?
Será que ficamos sugestionados que passamos a olhar para a pessoa de outra maneira e o nosso cérebro começa a convencer-nos que gostamos dela?
Será que senão fizermos nada vamos lá parar de uma maneira ou de outra?
Será que se nunca tivéssemos visto a pessoa nos nossos sonhos isso aconteceria?

Dado o poder dos meus sonhos e o facto de eu ficar, por variadas vezes, com aquilo a que chamo de "ressaca de sonho", sei que o poder do subconciente é forte. Quando sonho com determinada situação/pessoa e se foi um daqueles sonhos quase reais, o meu dia é só e apenas a pensar naquilo. Agora...mais que isso?! Será?!

Quando tive aqui a googlar sobre este tema apareceu-me este texto. Está em brasileiro mas eu vou só passar as ideias básicas e traduzir, pareceu-me interessante:
"A mente consciente é o "guarda do portão", sendo a sua principal função proteger a mente subconsciente de falsas impressões. Deve também estar-se consciente de uma das leis básicas da mente: a mente subconsciente é submissa a qualquer sugestão. A mente subconsciente não faz comparações nem contrastes, não raciocina nem pensa coisas por si própria. Limita-se a reagir às impressões que lhe são dadas pela mente consciente. Não demonstra preferência por nenhum caminho a seguir."

É que ele perguntou-lhe o que é que ela estava ali a fazer, e ela disse que não sabia.
E não sabia mesmo, nem o queria, nem o que ia buscar...mas sabia onde ia chegar.
That's weird...

Dia de relembrar o primeiro beijo.

Hoje vinha a ouvir a Rádio Comercial e o pagode acerca deste assunto, dado que o Nuno Markl a meio se vira e diz..."ah o meu primeiro beijo foi com o meu cão Ringo"...a risada...bom para por o pessoal bem disposto logo de manha (mesmo sendo segunda feira).

Então decidi dar o meu contributo e relembrar o meu primeiro beijo. Foi em meados de 1997, durante o mês de Novembro, não me perguntem dia porque isso é too much para a minha memoria de periquito...
Tinha sido o Verão do Mila do Netinho (toda gente se lembra desta música, right?!), o CD já fazia parte da aparelhagem e foi ao som desta música:
"Foi sem querer
Que eu beijei a sua boca
Menina tão louca
Eu quero te beijar
(...)"

Beijo na boca - Netinho
Foi bonitinhoooo... B. com 14 aninhos a dar o seu primeiro beijo...

Digo-vos já que não foi fácil, semanas de conversinhas e beijinhos no nariz, e dançar agarradinho e estamos quase mas ainda não, e toda gente já com aquele risinho do "passasse alguma coisa, ai passa passa" e nós a negarmos, e tudo e tudo e tudo...uma canseira!!!
Claro que no final fui eu que me cheguei a frente (homens!!), isto é...o menino criou a oportunidade, o sitio e a música e eu fiz os últimos 5cm!!

Alias após uma reflexão sobre o meu passado beijoqueiro cheguei a conclusão que, os primeiros beijos* são tão mais difíceis quanto mais tempo demoram para ser dados (e são melhores também, salve-nos isso!)...isto deve ter uma explicação lógica qualquer, que para mim se prende com o gostar mais ou menos da pessoa.
Quando se gosta mais, custa muito mais...irritantemente mais...de desesperar, estar quase a cortar os pulsos com colheres de sopa e dizer permanentemente "eu desisto, não aguento mais"!
Pergunto-me se isto será assim com toda gente ou se será só comigo?!



*É que não há só um primeiro beijo. Há o primeiro de sempre, que não tem de ser necessariamente o mais especial da vida, e depois há o primeiro com pessoas especiais, aquele que marcou por uma razão ou por outra!

Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa!


Os homens tem graça quando fingem que não percebem o que estamos a dizer.

Na presença de um NÃO redondo depois de algumas semanas de conversetas, cafés, cinemas e alguns beijinhos eles acham que, como é óbvio, está mais que na altura de terem o seu happy ending, que é como quem diz, levarem-nos para a cama, e não percebem (ou fingem que não percebem) os argumentos que lhes damos em contrario.

(Para os meus amigos que já ouviram estes argumentos considerem-se sortudos, porque a maioria das vezes damos uma gargalhada e viramos costas, que é o que vocês merecem)

Depois temos que ouvir pequenas pérolas como:
- "Vais-me dizer que ainda não nos vimos 10 vezes e portanto ainda não podes?"
- "Diz-me quanto tempo mais é que vou ter de esperar!"
- "Estas-te a fazer de difícil e não percebo porque, eu respeito-te imenso já"

RIDÍCULO!!

A questão aqui não são eles (eu sei que não é fácil perceber este conceito meninos, mas esforcem-se)...estou-me literalmente nas tintas, sinceramente, para o que eles querem (especialmente depois de ouvir e ver algumas pequenas pérolas com estas), a questão aqui sou eu e aquilo que me apetece!
É tudo muito simples, só faço o que quero fazer e quando quero fazer, quando sinto que é mesmo com aquela pessoa que quero estar. E não tem nada a ver com o ter ou não um "relacionamento serio"...tem muito mais a ver com intimidade do que com outra coisa qualquer!!

Recuso-me a acreditar que os homens não saibam a diferença entre estarem com uma miúda, que é porreira e tal, mas é só isso, ou estarem com alguém com quem realmente se dão bem, realmente faz sentido, realmente não haveria mais ninguém com quem quisessem estar...recuso-me!! Eles sabem a diferença, só que como deixam de pensar com a cabeça ignoram, não querem saber, é-lhes indiferente na altura.
Infelizmente, eu (e acho que não devo ser única) não me consigo abstrair desse facto...
Como as vezes digo na brincadeira as minhas amigas, a questão aqui não é eles quererem ir-se embora a seguir, é eu querer. E eu não gosto nada dessa sensação...
As coisas ou fazem sentido ou não fazem, e senão fazem...eu não vou mudar a minha maneira de ser.

quinta-feira, 22 de abril de 2010

A. e D. #1

Apetecia-me colo. Colinho, um abraço daqueles mesmo fortes e beijinhos no nariz!

D.: Devias era deixar de ser parva!
A.: Deixa a miúda em paz...isto é o blog dela, deixa-a dizer o que lhe apetece.
D.: Eu deixar deixo, mas é uma grande perda de tempo, não percebes?

Exacto é o meu blog e quem não quiser saber, que não venha cá ler...

D.: Podes até ficar contra mim, mas sabes que eu tenho razão. Continua a ser perda de tempo...
A.: Ela é humana, deixa-a em sossegada. Não está a fazer nada de mal, só está a dizer aquilo que sente!
D.: Ridícula!

Ok, continuem a falar de mim como se eu não vos pudesse ouvir então!!
Vou dormir.

P.S: Dizendo ou não dizendo continua a apetecer-me abraços e beijinhos no nariz!

Porque é que é tudo tão dificil?


Eu acho que sou uma pessoal simples. Ou pelo menos tento ser, apesar de saber que quando estou perdida e nem eu me entendo, não me consigo fazer entender e dou voltas e voltas sem chegar a lado nenhum.
No entanto, quando me encontro e quando sei o que deve ser feito, sou simples... e até faço mais, digo as coisas, falo e explico de modo a que depois ninguém me possa dizer "eu não sabia" ou "se eu soubesse tinha sido de maneira diferente"...ninguém nunca me poderá dizer isso (sem que eu me torne violenta pelo menos)!!
Neste caso especifico, eu já disse tudo, à meses atrás, eu já expliquei, eu já me expus mais do que o que seria aconselhável até, eu superei-me e elevei-me e tudo e tudo e tudo...e não foi suficiente. Logo, a tropa foi retirada de campo, não de uma vez como eu queria a principio e como eu achava que conseguia (eu acho sempre que sou mais forte do que o que realmente sou!) mas a aplicar a técnica dos pequenos passos (que mesmo assim não esta a ser tão fácil como eu pensava que seria).
A questão da dificuldade das relações (de qualquer tipo), é que as pessoas tem de estar em sintonia com aquilo que sentem uma pela outra. O equilíbrio é mais do que fundamental! Se damos demais de nós e a outra parte não, criasse uma espécie de desapontamento, uma tristeza, um estar constantemente na expectativa de coisas que não vão acontecer...e obviamente que depois temos tendência a imputar a culpa disso ao outro, porque é natural, e humano até...apesar de não ser justo.
As pessoas só dão o que podem dar e o que querem dar, não se força ninguém a nada...
Logo, numa relação em que os sentimentos são desequilibrados, e se quisermos mesmo manter alguma parte da relação, só há duas opções: ou 1) o outro gosta de nós o suficiente para se elevar e chegar onde nós estamos, ou 2 ) temos nós de esquecer as expectativas que tivemos e descermos ao patamar deles...só assim é justo, só assim funciona!


And I'm on my way down...'Cause I like you, but I like me better.

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Cobras...com "O" ou com "A"...

Como prometido...

Pessoas hipócritas enervam-me no geral, não é dos piores defeitos que se pode ter mas esta no top ten das coisas que eu detesto nos outros (ou nas outras a maior parte das vezes) juntamente com a dissimulação, o cinismo e a inveja!
Quando somos amigos de alguém assim, até porque essas pessoas também tem amigos, é a achar que pelo menos connosco essas pessoas não vão ser assim, right?! Pois...não...wrong!!
Há certos defeitos que as pessoas podem tentar evitar durante um certo tempo, mas nunca vão conseguir dissimular a vida inteira, acabando por fazer coisas inaceitáveis em qualquer código de amigas. E o código de amigas vai além dos relacionamentos pessoais, o código das amigas passa também pela parte profissional...porque há coisas muito mais importantes do que se obter aquilo que se quer a qualquer preço. E acima de tudo, há o saber fazer as coisas da maneira certa, quando não se pode mesmo evitar!

Mas de facto, e depois do que achávamos inaceitável acontecer, ficamos a meditar sobre se a culpa não será nossa por já sabermos que X pessoa é assim, mas acharmos que por qualquer razão divina connosco será diferente! O problema é que quando uma pessoa tem inveja a vida inteira, mais dia menos dia vai tentar ficar com o que é nosso. Esse é o modus operandis das pessoas invejosas...quererem o que é dos outros, mesmo que o que tenham seja melhor ou igualmente bom, mesmo que possam ter algo melhor!
Tenho a dizer que é triste!! Mas mais uma vez...não poderíamos esperar outra coisa, a educação é uma coisa que vem desde pequenino, quem tem tem, quem não tem, nunca vai ter!

O que me faz rir e muito no meio disto tudo, é que independentemente destes seres conseguirem ou não ficar com o que é dos outros, estes vão ser sempre melhores. Nem que seja pela dignidade e integridade com que recebem estas pequenas facadinhas que a vida lhes dá!!
Nothing shocks me anymore...

terça-feira, 20 de abril de 2010

Aquilo que os outros vêem


Ontem quando estava no banho, depois de uma grande aula de bike que me serviu de exorcização, dei por mim a pensar porque é que os outros vêem com muito mais nitidez aquilo que a nós nos é tão difícil de ver?

Durante o almoço com a J. disse uma data de barbaridades (daquelas que as pessoas dizem quando lhes está a doer muito) que a mim me faziam todo o sentido e com as quais, ela descordou completamente. Aparentemente, e apesar de me estar a doer, há coisas que eu não posso pensar, até porque não foram nada assim...mas o que é que querem?! Eu consigo ser injusta até comigo se isso me fizer ficar melhor. Porque às vezes é mais fácil negar e negar e negar sempre, do que aceitar o resto...
Os outros vêem sempre mais claro do que nós, mais preto no branco. Eu quando olho para ela também há coisas que me fazem imenso sentido e que alias, acho que não podem ser de outra maneira, e ela acha que eu não tenho razão!

Se calhar, se as coisas fizessem sentido para quem está cá dentro não tinha a mínima graça... Ou então tinha, nem sei! Acho que neste momento não sou a pessoa mais indicada para dar qualquer tipo de conselho...e então calo-me, observo, abano a cabeça em tom afirmativo de aceitação.
Nesta fase eu aceito tudo aquilo que me queiram dizer, até porque andar constantemente as voltas a pensar, não leva ninguém a lado nenhum. Eu própria estava muito melhor antes de complicar estas coisas todas! Logo, não darei palpites quando eu própria não os aceitei...
Keep it simple!
(Se recebesse um cêntimo de cada vez que disse esta frase aos outros e a mim mesma durante meses estava podre de rica)

Ponto de vista marcado, quero apenas acrescentar que o pai B. vem para casa amanhã!!
Estou prontíssima para beijar na boca o piloto do avião da Continental, os assistentes de bordo e os senhores do ACP por mo trazerem para casa!! Finalmente...
A minha família anda-me a mimar (hoje vou almoçar a Colina porque a avó B. achou que um bifinho daqueles mal passado me ia fazer milagres), os meus amigos levam-me ao colo (e dão-me ainda mais atenção do que o normal), ainda me habituo mal assim pessoal...mas obrigada!!! =)

Agora tenho de ir trabalhar, mas lembrem-me de vir aqui postar a minha opinião sobre as cobras (sem ofensa nenhuma ao animal, que eu por acaso até gosto muito)!!!
Nem sei como é que ainda fico chocada com certas coisas...provavelmente porque tenho aquela visão ingénua que quando somos amigos, somos mesmo amigos...call me crazy!!

segunda-feira, 19 de abril de 2010

A porcaria dos aviões e do espaço aéreo


Quem vem aqui a este meu cantinho sabe que normalmente eu não falo do exterior, nem do que se passa no mundo.
Primeiro porque é uma coisa que toda gente fala em todo lado e segundo porque este espaço é meu e eu não tenho pretensões a dar opiniões politicas e sociais sobre assuntos que não percebo inteiramente. A verdade é que no máximo dos máximos posso opinar sobre números, taxas, medidas financeiras e escândalos na bolsa...isso é o que eu gosto e disso, eu até percebo alguma coisa, mas mesmo assim, não gosto de dar pareceres. Isto aqui é um cantinho centrado em mim...e eu gosto que seja assim!

No entanto, hoje tenho a dizer que esta porcaria do vulcão e do espaço aéreo fechado já me está a chatear. Estão a manter o pai B. longe mais do que a conta, e esta coisa das férias forçadas não tem piada nenhuma...muito menos quando o meu mundo esta todo de pernas para o ar e ele é das única pessoa que me dá estabilidade!
Pior, é que quando falo com ele tento mostrar-me bem, e contente, mas assim que ele puxa um bocadinho lá vou eu, num chorrilho e "não seis" e "talvez" que o deixam preocupado do outro lado do mundo. Ele dá-me paz de espírito, uma paz que neste momento era tudo o que eu precisava, a certeza de que o mundo é perfeito e não há nenhum problema que resista ao abraço dele...
As previsões não são as melhores, pelo menos mais uma semana. Eu ontem já lhe dizia para ele apanhar um barco, como se fosse fácil, género cacilheiro do Tejo... "chegas cá em 4 dias"!!!

O fim de semana foi de alienação completa, agradeço o facto das minhas amigas serem pacientes e de haver sempre mais um copo de Vodka para elas me darem enquanto me arrastam para a pista de dança. A juntar a isso dormi na cama da mãe B. os dois dias do fim-de-semana, naquele miminho imenso que só as mães sabem dar.

Odeio este tempo, odeio o cinzento e a iminência da chuva constantemente. Odeio sentir-me "dark and twisty" e não poder fazer nada para o evitar. Sei que isto passa, passa sempre. Sei que sabia que era isto que me esperava. Disse-o vezes sem conta quando me alertaram para este facto, juntamente com os "não me importo". No entanto, temo que na realidade já não me lembrasse inteiramente de como é que era este lugar.
Não quero saber...não quero mais saber...
"Uma das melhores coisas da vida é que ela muda. Nem sempre muda quando queremos ou como desejamos, mas muda. E no meu caso, porque sou uma pessoa abençoada, muda para melhor. Pelo menos, acredito que assim é. E o mais importante não é aquilo que vivemos, mas aquilo em que acreditamos." O dia em que te esqueci - MRP

But I'm trying...


sábado, 17 de abril de 2010

O bom de ser mulher...

...pagar a lavagem do carro mais barata, mas como estava de leggings e camisola o senhor foi simpático e fez-me uma lavagem com tudo a que o B.car tinha direito!!!

De qualquer das maneiras fui eu que tive de aspirar...não se pode ter tudo...

Conceitos vários do dia de ontem


Eu sou obstinada. Sempre fui, sempre hei-de ser. Se misturar a isso o facto de ser mimada, a coisa fica explosiva.
Basicamente não há coisa que eu não queira que não tenha, não há distancia grande demais, não há "não consegues", "não tens tempo", "isso é impossível", que me detenha...e ao mesmo tempo que isto pode ser uma qualidade fantástica, o reverso da moeda já não é assim tão giro.
Deixar ir, desistir, aceitar a derrota são coisas que eu não consigo simplesmente fazer assim do pé para a mão. Exigem-me tempo para meditar, para aceitar, para digerir e compreender e normalmente... não resulta, essa é a verdade!! Só resulta quando eu ponho na cabeça que não quero, que EU é que não quero, eu é que já não me apetece mais, para mim é que acabou...feitios, vá se lá perceber!!!

Isto tudo para introduzir oficialmente que, deixei de tentar estudar (em vão) para a porcaria daquele exame e decidi que vou fazê-lo no ano que vem. Vou aproveitar o meu Verão (assim que ele chegar, não é S. Pedro?!), ir a praia, estorricar ao sol, estar com a minha família, com os meus amigos, divertir-me...isso é que se quer!!! Assim que chegar Setembro e o tempo acalmar...voltarei a pensar sobre este assunto!

Outro assunto que eu tenho que pensar tipo...já, agora, neste momento é na minha produtividade!! Eu sei que eu sou como diz a MRP "toda feita de coração", e "nem sei porque é que Deus me deu miolos se eu nunca tomo decisões com eles", mas quer dizer temos limites e eu obviamente que voltei a tocar na linha e lixei-me com F grande... É que nem sequer argumentar contra os números consegui. Assumi culpa, e não vai voltar a acontecer!!! Como dizem os brasileiros "que marmota é essa?"...ai ai ai B. B. não te ponhas na linha não, que não vale a pena!

Mais considerações sobre ontem... fui ao dentista, e destrui o meu aparelho de dormir. Mas segundo a M. não foi uma destruição qualquer, foi de tal maneira que ele estava brilhante de tão polido!! Pergunta "deixas-te de ir ao ginásio não foi? Estas a descarregar o stress todo para aqui!"...resposta "Não M., tenho ido ao ginásio todos os dias!!"...e esta tudo dito...tenho stress a mais acumulado e não há maneira de ele sair sem ser para o aparelho!! ADOROOOO...Agora supostamente deveria usar o aparelho de dia...não sei se consigo... prometi tentar!!

Como o dia estava perliquitante entre o mau e o péssimo, decidi por alguma ordem na casa...e fiz uma limpeza profunda, tal qual Cinderela, arrumei, limpei, esfreguei...e tudo e tudo e tudo...as 23h o meu pai liga-me:
Pai B.: "Onde estas?"
B.: "Em casa"
Pai B.: "A fazer o quê?"
B.: "A limpar a casa e a arruma coisas"
Pai B.: [Que está do outro lado do mundo em viagem] "Mas que horas são ai? Não é 6a feira a noite? O que é que estas a fazer em casa?"
B.: "Apeteceu-me arrumar umas coisas. Mas já me vou vestir para sair"
Pai B.: [Em tom aliviado género, "ela não está doente afinal"] "Ahhh ok"

Para melhorar o meu dia por completo, só uma morangoska das médias, uma conversa porreira, o S.Pedro que fez não chover, e vir dormir a casa da mãe...

P.S: Quando não se pode fazer nada, faz-se isto e espera-se que passe! Ouvi das boas das minhas amigas todas e com razão...o pior é isso...é que eu sei que elas tem razão! Ai vidaaa....

sexta-feira, 16 de abril de 2010

Decisões


Há decisões fáceis de serem tomadas, há outras que nem pensamos, há umas a que nos obrigamos e há ainda as insuportáveis!

Insuportável ou não, chega a uma altura em que simplesmente não existe mais espaço para continuarmos no sitio onde estamos. A mudança é exigente. É uma luta continua. Um auto-convencimento, um obrigar o cérebro a trabalhar em vez de sermos arrastados pelos sentimentos, deixando-nos envolver por eles, perdendo totalmente o controlo outra vez.
O meu cérebro tem trabalhado bem. Todos os dias sem descanso obrigo-o a sentir só aquilo que eu quero. Naquela visão dark and twisty, o coração é só um músculo e o cérebro controla tudo. Logo, não há sentimento, por maior que ele possa parecer que não acabe se nós quisermos que ele acabe.
Mas para queremos mesmo é preciso cooperação, é preciso termos ajuda da parte daqueles que estamos a tentar esquecer, é preciso que eles nos mostrem que estamos a fazer o certo, que não nos deixem duvidas nem espaço para margens de manobra. Quando estamos a andar em cima da corda qualquer duvida é o suficiente para (re)cairmos e nos enchermos outra vez de esperanças e esperas inúteis, que no fundo não nos levam a lado nenhum. Infelizmente, bastam algumas palavras para nos deixarmos afundar num mar de incertezas sobre os sentimentos dos outros...o português é uma língua extremamente traiçoeira. Quando duas pessoas aplicam os mesmos verbos podem a) não querem dizer a mesma coisa ou b) não sentirem da mesma maneira o que estão a dizer. E é por isso que eu sei, que há certas coisas, que neste momento eu não quero ouvir. Não da maneira leviana como o verbo é aplicado pelo menos!

Neste preciso momento lido melhor com a distancia, com a certeza de que não sou eu, e que não faço senão bem em sair daqui muito rapidamente. Não posso lidar com a incerteza da possível incerteza dos outros. Não me posso preocupar se antes estava aqui e se agora já não estou, e se isso também não é justo para os outros. Não há mais espaço para abdicar daquilo que eu sou, para me importar demais da conta, para me preocupar e não existir mais nada sem ser a vontade de estar perto. Acima de tudo é altura de pensar mim, só em mim e naquilo que me vai fazer parar de sentir coisas que nunca devia ter sentido (not again at least).

Isto tudo para dizer que...I'm fine!
E estou melhor ainda quando me mostram que estou a fazer a coisa certa, quando não me deixam acreditar, quando não me mandam mensagens a dizer coisas que não sentem, quando me deixam sozinha, quando não querem saber. I'm better that way...por mais estranho que isso possa parecer!

Eu também nunca disse que era normal...vá!!!

quinta-feira, 15 de abril de 2010

K. no seu melhor...

Clássico...
Conversa acabadinhas de sair de cima da bike, depois de 45 minutos a pedalar como senão houvesse amanhã:
K.:Isto não te faz lembrar...?!?
B.: Kkkkkkkkkk...!!!!!!
K.: Mas faz, não faz?!
B.: Shiuuuuu...[ainda estávamos dentro da sala com, pelo menos, 10 pessoas a menos de 1m que não devem querer ouvir estas coisas!!]

Chegadas cá fora:
B.: Claro que faz! Aliás tens de te concentrar em alguma outra coisa para não pensares na dor de pernas. Pode ser na música, ou...noutra coisa qualquer...ahahahaha.
K.: Vês...eu sabia!! [Diz ela com ar triunfante de quem tinha razão]

Priceless...a serio...toda gente pensa mas não diz, mas a K. não...até ficava nervosa senão partilhasse este pensamento comigo!!!

Movie night

Recentemente foi decidido que 5a feira é dia de cinema...

Portanto faça chuva ou faça sol, lá vão as meninas à estreia ver os filminhos todos todos todos!!

Na semana passada fomos ver o "date night"...nada de especial, um pouco parvo, mas deu para rir...

A melhor parte de todas foi a cena em que o marido (Steve Carell) se vira para a mulher (Tina Fey) e diz:
- "Mas como é que tu te lembras deste teu cliente?"
Resposta:
- "Querido sabes que eu tenho boa memoria para caras e nomes!".


E abre este senhor a porta, nestes propósitos!



Boa memoria para caras e nomes...seiiiiii...

O marido passa o resto do filme todo a passar-se e a dizer para o Holbrooke (Mark Wahlberg) "mas não podes vestir uma t-shirt, uma camisa, qualquer coisa??"...ahahaha...poder ele até podia mas não era a mesma coisa!!

No final ainda acrescenta "ele tem músculos nos ombros, não pode ser normal!"...priceless...

B. em espírito total de partilha!!! Só não partilho o McDreamy do episódio de ontem de Private Practise senão os amigos B. começam a mandar vir que isto é blog de gaja e que eu sou pior que eles e bla bla bla...

quarta-feira, 14 de abril de 2010

I explained before


Não posso explicar mais nada...
Já disse tudo o que podia, e mais um bocadinho até ao limite do que devia...that's enough!

"Blair: I don't like who I've become with you.
Chuck: Wait, Blair, don't bail on me, we have to see this through to the end.
Blair: This is the end."


É que, pela primeira vez ontem em 3 seasons, eu achei mesmo que eles não deviam ficar juntos. Ele puxou aquilo que ela sentia por ele até ao limite do inaceitável, e pior, ela foi...

Dia mundial do beijo (foi ontem)


Não o celebrei...confesso, shame on me!!!

Como a Belota no seu blog escreveu um post que eu acho lindo sobre o assunto, vou transcrever para aqui, num espírito mais de homenagear do que de celebrar!!

(Sei bem como é que celebrava sei...mas não era aqui!!)

"Não sou a maior fã de beijos. Gosto de beijinhos queridos e carinhosos na bochecha, gosto de beijos no pescoço, gosto deles na barriga, daqueles que fogem de lado para a cintura. Claro que me sinto bem se a pessoa de quem gosto me beija nos lábios. Mas não é a coisa que mais gosto. Não sou capaz de ficar uma hora a beijar alguém. Mesmo que seja a pessoa certa. Não acredito em beijar bem, beijar mal, ou saber beijar. As coisas sentem-se, não se aprendem. Gosto de colo. Gosto de festinhas nas pontas do cabelo. Na cabeça não, que faz barulho. Gosto das coisas únicas e especiais. E por isso não gosto de viver numa cultura em que se cumprimentam as pessoas com beijos na cara. Não gosto da banalização do beijo nem de manifestações públicas de afecto. Gosto de o beijar para o calar. Geralmente é quando não tenho argumentos e até já sei que nem tenho razão. Gosto do beijo como arma. Gosto dos beijos com uma razão. Os privados. Os escondidos dos olhares alheios. Aqueles que só a nós dizem respeito. Não gosto de beijos roubados. E nunca, nunca, irei gostar de um beijo só porque sim."

A única diferença de mim para ela é que eu gosto de beijar, e sim passava horas nisso...
De resto tudo igual, gosto deles quando são especiais, quando valem a pena, quando deixo de conseguir pensar e respirar não é mais preciso, quando só ouço o batuque do coração tumtum tumtum e parece que tudo faz mais sentido!

O meu coração é verde!

Só vou dizer isto uma vez...
Sim ganharam, parabéns! Para a próxima perdem...porque é mesmo assim, às vezes perdemos às vezes ganhamos!!
Escusam de ficar excitadinhos, a acharem-se os melhores e a chatearem os outros.
(No ano passado por esta altura estavam no mesmo lugar que nós, ok?! Vamos tentar não ter memoria curta se faz favor!!)
Quando o SCP ganha eu fico feliz, mas não teço comentários género "toma toma" ou "eu disse" ou "somos os maiores"...é triste, infeliz e desnecessário meninos! A sério...

And just for the record...o Sporting é o melhor do mundo...nem que vocês ganhem nos próximos 20 anos!! Desculpem, mas é a verdade...



P.S: Adoro a burrice de algumas mulheres...

Logo pela manha


O despertador toca sempre 20minutos antes de me levantar. Carregar no botão de "delay" dá-me sempre uma sensação de controlo do género..."não me vou levantar já, sou rebelde!!". É parvo, mas sabe-me bem...
Toca de 7 em 7 minutos ao som de Millow - Ayo Technology e é suposto eu ir acordando. Não voltar a sonhar naqueles 7 minutos...
Muito menos sonhos quase reais!!! Que podiam ser (pelo menos) e pior, que eu gostava que fossem...não se faz!!
Já na praia no Domingo aconteceu o mesmo e eu ignorei...pensei "boa, com meu cérebro a boicotar-me desta maneira hei-de chegar muito longe"...mas estava com as amigas, pus-me na conversa e aquilo passou, a noite de Domingo foi tranquila, subconsciente sossegado, tudo 5 estrelas. E hoje outra vez isto!!!
É que até podia ser uma coisa muito elaborada (Deus sabe que quando é para sonhar coisas estranhas em sou a primeira da fila), mas não, são coisas simples, pequenos detalhes, nada de extravagante, e no entanto...aaaahhhhh que ódio!!

Enfim...estava eu ainda com a ressaca do meu sonho, entro no carro a resmungar com a minha cabeça, depois passo a resmungar com o rádio porque só dava anúncios, heis que senão quando passo para a comercial e eles dizem "daqui a nada vamos anunciar o concerto do ano"...mas nada de dizerem quem é...eu que sou curiosa, juntamente com o meu 6º sentido que raramente me falha deixei-me estar!! E valeu a pena...como presente de anos aqui para a B. o Sr. Michael Bublé vem dar um concerto a Portugal no dia 2 de Novembro!!
Por agora resta-me comprar os bilhetes (acho que vai haver gritos e empurrões na fila) e ver quem é que quer vir com a carochinha!!!

Hummmm...é melhor ir trabalhar...quadro para apresentar a chefe as 10h da manha e eu aqui...na partilha!

terça-feira, 13 de abril de 2010

B. Jones (II)


Ainda acerca do mesmo...Esta minha "coisa" com os olhos claros...é uma coisa grande!!


Tem implicações ao nível da fala, articulação das palavras e falta de vocabulário, bem como no raciocínio dedutivo...lovely!!!
I'm so Bridget Jones...

P.S: Se eu podia fingir que me é indiferente...podia (e devia), mas não era a mesma coisa!

B. Jones (I)

Ai meu Deus...eu tenho uma coisa com olhos claros!! Definitivamente!!!

O segurança, por favor, o segurança...que olhos!!! É que não se faz...
Vou só ali ao céu e já volto 10 vezes...Ai Jesus, que Deus me proteja!!!
É assim um azul, para o verde, mas mais azul, nem sei...
Grandes, enormes que só se vê olhos. Por favor...

...No comments please...

Escolhas


Tudo na vida é uma questão de escolha.
Mas...como é que se escolhe?
Qual é o critério? O porquê? Será que pensamos quando escolhemos? Pensamos no impacto que essa escolha vai ter para o futuro e para os outros?

Olhando para trás sei que houve escolhas que tiveram um impacto brutal na minha vida. Escolhas que a partida eu não faria (naquela altura pelo menos) mas que os meus pais me obrigaram a fazer: A explicação que me levou às 25 décimas a mais do ultimo a entrar na melhor faculdade, o afastar-me completamente da "rebeldia adolescente" por entrado para o colégio, o ter feito Erasmus na Alemanha e não no Rio de Janeiro...
Escolhas que fizeram toda a diferença...nenhuma delas fui eu que tomei sozinha!!
We all were young and stupid once!!

A questão acerca das escolhas é a liberdade, o livre arbítrio, nosso e dos outros. Eu costumo dizer que somos todos livres para escolhermos o que queremos, só que cada escolha tem uma consequência e normalmente essa consequência vem dos outros (bla bla bla somos seres sociais e cada acção tem uma reacção bla bla bla).
Se somos livres para escolher, os outros são livres para reagirem a essa escolha da maneira que quiserem...e essa reacção pode não ser a esperada, pode ser chata e aborrecida, pode fazer-nos arrepender da primeira escolha que fizemos...
Gostamos de ser livres para fazermos o que queremos mas não gostamos da maneira como os outros reagem a isso, da maneira como eles aceitam ou não essa escolha. It's humam...

A titulo de exemplo fica uma pequena historia:
Uma vez fui sair com um "amigo" meu. Ele até tinha potencial para ser mais alguma coisa, andávamos nas sms e nos beijinhos (só). A meio da noite, já tínhamos bebido uns copos, chegou um grupo de outros amigos e ficou tudo na risada a mandar conversa fora e a dançar, quando, heis que senão, o menino começa a deitar perfume para cima de outras moças!! Quem me conhece sabe que eu (por acaso) até sou ciumenta, mas não foi este o caso. Eu até podia dizer que fiquei chateada, mas nem foi por ai...não gostava o suficiente dele para isso, essa é a verdade.
Simplesmente ri-me para dentro e continuei na minha a dançar, ele vinha-me dar conversa voltava a lançar perfume a outras meninas, bla bla bla por ai fora até chegar a altura de irmos embora. Eu despedi-me, peguei no meu casaco, apanhei um táxi e fui para casa. Ainda não tinha chegado quando o meu "amigo" liga a dizer que gostaria muito de me ter acompanhado até casa (if you know what I mean)...E eu voltei-me a rir (nem poderia fazer outra coisa alias) e respondi-lhe o seguinte: "Achavas mesmo que ias passar a noite toda a lançar charme a outras gajas e que depois vinhas dormir comigo? Eu nem sequer estou chateada, és livre para fazeres o que quiseres. O bom disso, é que eu também! Até amanhã".
E foi assim, o final de uma bela e pouco duradoura "amizade".

Escolhas...é tudo acerca de escolhas...cada um faz só o que quer...e eu também!!


P.S: Confesso que gosto muito de fazer os outros arrependerem-se das escolhas deles, principalmente quando estas não me agradam. A melhor parte disso é que normalmente consigo, e quando não consigo é porque já me é indiferente (e isso também se sente). Eu nunca perco, no máximo deixo de jogar! It's a beautiful world, isn't it?

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Grey's (quotes IV)


"Meredith: [narrating] We assume the really serious changes in our life happens slowly. Over time. But it's not true. The big stuff happens in an instant.
Sometimes you don't even know anything is changed, you think you still you and you're life is still you're life. But you wake up one day and look around and you don't recognize anything, not anything at all."

"Meredith: [narrating] Everyday we get to give the gift of life, it can be painful, it can be terrifying, but in the end it's worth it. Every time. We all have the opportunity to give. Maybe the gifts are not as dramatic as what happens in the operating room, maybe the gift is to try and make a simple apology, maybe it's to understand another person's point of view, maybe it's to hold a secret for a friend. The joy supposedly is in the giving, so when the joy is gone, when the giving starts to feel more like a burden, that's when you stop. But if you're like most people I know, you give till it hurts, and then you give some more."

Luxos


Hoje de manhã, com o sol acabado de nascer a bater-me na cara, pensei que de facto, viver na linha é um luxo.

Mas, não é um luxo porque é bem, ou porque só as pessoas de bem é que vivem na linha ou bla bla bla, essas snobeiras todas...não, não é nada disso! Para mim viver na linha é luxo porque venho no transito a ver o mar, porque estou a 2 minutos da praia, porque Oeiras é um concelho brutal com todas as infraestruturas e mais algumas, porque estou a um passinho de Lisboa e a 2 passinhos de Cascais (entre a mãe B. e o pai B.). De facto luxo não tem só a ver com dinheiro...
Luxo é muito mais do que isso, luxo é trabalhar naquilo que se gosta e ainda ser pago por cima, é descer 15m de ravina e estar numa praia deserta a 20minutos de Lisboa, é ser-se livre para se fazer o que se quer sem ter medo das consequências, é chegar ao aeroporto e dizer "queria um bilhete para o próximo avião e não, não tenho bagagem de porão", é poder pintar as unhas no escritório, ter os horários que se quer sem dar satisfações a ninguém. É usar saltos rasos quando doem os pés, é aparecer em casa da minha mãe a chorar e sem avisar e ela ter sempre as minhas bolachas de chocolate preferidas, é ter sempre para onde fugir quando as coisas correm mal, é ter saúde para dormir 8h em três dias para andar na ramboia, é ter amigos que mudam a vida toda só para não nos deixarem sozinhos...

Luxo é muito mais do que só ter dinheiro...é fazermos o que nos dá na vontade, estarmos só com as pessoas que gostamos, termos tudo o que nos apetece...os luxos são pequenas coisas que nos fazem felizes. Se pudéssemos comprar isso, nem sequer daríamos valor...

domingo, 11 de abril de 2010

I hate Sundays

Deve ser das poucas horas de sono do fim de semana, ou de qualquer outra coisa que não consigo saber o que é, mas hoje sinto uma distancia quase física. E a distancia doí...

O dia está lindo lá fora, discuti com o pai B. ainda a dormir (ou melhor ele ficou chateado comigo e foi sarcástico, o que é pior ainda), devia ir para a praia porque vou ter uma semana fechada num escritório, mas não me apetece ver pessoas, todas à excepção de uma pelo menos!
Mudar custa, deixar ir custa, perder custa, aceitar que não se poderia fazer mesmo mais nada custa...mesmo quando sabemos que o que estamos a fazer é o certo, quando sabemos que nos estão a dar muito menos do que merecemos e do que queremos e que portanto não há mais sitio nenhum para onde ir senão para aqui onde eu estou.
Eu só gostava que fosse rápido, tipo shot de tequilla, uma banda de cera ou entrar no mar de mergulho. Até podia doer, mas que doesse tudo de uma vez e parasse definitivamente.


O telefone acabou de tocar...era a J...vai-me levar para a praia!!
Estou aos bocadinhos hoje, mas ainda bem que tenho amigas que guardam os meus bocadinhos para eu os poder ir colando aos poucos enquanto isto vai passando...

sábado, 10 de abril de 2010

Ramboias e coisas

Estes últimos dias tem sido muito agressivos.
Depois de dormir 2.30h de 5a para 6a, ontem fui sair com a J. (outra vez) e voltei atingir o limite das horas...deitei-me as 9.38h (e acordei as 13h...optimo!!)...já nem sei à quanto tempo isto não acontecia, mas a noite foi tão divertida. Só risadas, parvoíces, bolos, andar a pé (meia Lisboa), falar com estranhos na rua...Gostei mesmo!!
E hoje a tarde inteira numa praia deserta a torrar ao sol...priceless...

Ao contrario do que normalmente acontece quando eu supostamente vou "sair para esquecer", onde sou altamente auto-destrutiva género álcool até sedar, meter-me com gajos só porque sim, cigarros uns atrás dos outros e mais outras coisas afins, estas saídas foram calmissimas. Não me apetece ser má para mim mesma, não pus um cigarro na boca, bebi o que me apeteceu sem exageros, dancei até não poder mais, ri-me que nem uma perdida que me doem os abdominais à seria...and that's all...parece que até nisto eu mudei...Ohhh you're good! You're very good honey!

Acho que nesta situação toda é tudo uma questão saber sempre onde está o Lego. O Lego é aquela peça que ajuda a ver tudo claro, que faz com que as coisas sejam pretas e brancas e que me permite não andar 5cm acima do chão por qualquer pequena coisinha.
(Atention please, Lego's theory is a J's theory).
Tenho mantido o Lego comigo, guardado à vista, para me ajudar a gerir as expectativas da melhor maneira. Percebi que é tudo uma questão de expectativas, a partir do momento em que as expectativas de retorno futuro são iguais a zero, os agentes tendem a não investir. Sem investir, os activos mantém-se em funcionamento, mas inalterados durante um tempo, tornando-se posteriormente obsoletos. O que quer dizer que, demore o tempo que demorar eu vou acabar por ser bem sucedida nesta missão que, até à bem pouco tempo, me parecia uma causa perdida, e os meus magníficos sentimentos (e eram mesmo!) a mais vão todos todinhos para o caixote do lixo!!
"I've chased you for long enough." Queen B.


P.S:E neste momento estou a arranjar coragem para me levantar do sofá, saltar para o banho e por-me linda e maravilhosa para a festa de anos da R.!!
Um fim de semana à antiga...

sexta-feira, 9 de abril de 2010

Só me saem é duques e cartas baixas...


(A minha nova expressão. Já estava com saudades de ter uma!)

Quanto mais eu rezo mais assombração me aparece.
Quanto mais eu não estou nem ai (porque sinceramente os meus sentimentos estão mais embrulhados que um novelo de lã), mais eles acham graça.
Quanto mais eu digo que "jantar logo se vê", "esta semana está realmente complicada", "hoje não me dava muito jeito" ou até mesmo "NÃO", mais eles insistem que é tudo como "amigos" e sem segundas intenções (yeah right, I've been there!!).

Adorava perceber este fenómeno cósmico que me torna totalmente indisponível, sem qualquer vontade de andar em dates "só porque sim", e o facto de todos os dias (nos últimos 3) renascer um "ex" diferente. Ai vida...
(E não, não vai voltar a acontecer porque...pasmem-se, eu já não gosto deles dessa maneira!! Infelizmente só me apetece estar com alguém quando gosto dessa pessoa...call me crazy!)

Não me consigo alongar mais sobre o assunto porque, dada a minha versão new B. risadas,- chocolates-e-amigas deitei-me as 4.48h da manhã...e porque obriguei a J. a ir para casa!! Ela queria vir de directa trabalhar e ficar a bombar um grande hip hop até as 7h da matina. Eu queria, mas tenho que ir a cama nem que seja 30min, ou 2.30h como foi o caso, senão não me aguento à batida. E diz que hoje a noite há mais...
Eu peço ajuda, e as minhas girls estão lá, incansáveis para mim! Win-win situation!!

A acrescentar tenho a dizer ao Sr.A que vodka+sumo a 2.30€ não se faz. É quase pecado.
E por falar em pecado, eu preciso de força para ultrapassar este dia...pede-se por favor!!

Beijinhos e abraçinhos
(se conseguir não babar em cima do teclado o dia inteiro voltarei daqui a nada)

B.


P.S: Vinha no carro com a J. a ouvir grande som no transito quando a K. liga e se interroga "Estás a ouvir batida logo de manha?!"...risadaaaa!!

quinta-feira, 8 de abril de 2010

I'm fine


Não sei se já referi aqui, mas um dos meus filmes preferidos é o "The Thomas Crown Affair".
A Catherine Banning (interpretada pela Rene Russo) é uma das minhas personagens femininas preferidas do cinema, o género de mulher que eu gostava de ser quando fosse crescida!

Esta cena é bastante elucidativa do carácter dela (mais ou menos assim):

[Catherine is clearly upset]
Detective Michael McCann: Are you okay?
Catherine Banning: Yeah. I'm fine.
Detective Michael McCann: You know I was "fine" once. My girlfriend went out one night and came back... married. I told everyone that I didn't care, and then I fucked five women in three days, flipped my car on an on-ramp, beat a suspect unconscious, got suspended... but I was "fine".
Catherine Banning: This conversations has a point?

P.S: I'm fine...that's just the way it is. And nothing can change the truth!

I can't be defeated

Há alguns anos havia uma pessoa que me acalmava a dizer assim: "B. vai tudo correr bem". Ele repetia esta frase vezes sem conta, muitas vezes enquanto eu dava voltas e voltas, perguntava os porquês e era mimada. Ele dizia-me isto e afastava-se, voltava meses depois e eu voltava a ceder e ele voltava a dizer e afastava-se...até que por fim, posso finalmente dar-lhe razão...tudo correu bem e acabou bem!

Costumam dizer que as coisas ou acabam bem ou então é porque não acabam! O que é certo e sabido é que hoje acordei com um nó estranhamente familiar no estômago (e se calhar por isso é que me lembrei disto), aquela sensação de "será que isto voltou mesmo a acontecer?", poderei eu ter-me enganado...outra vez?! OMG...that's just so me...

As coisas em casa da mãe B. estão uma confusão, as coisas com o avô B. estão cada vez piores e não me parece que haja muito que se possa fazer, eu estou-me a tentar perder para ver se me encontro outra vez (o que não sei se fará sentido), há pessoas que tentam porque tentam me magoar de propósito, alias, ligam-me para me tentarem magoar, que é uma coisa que eu não entendo...

Uma vez a T. depois de uma cena qualquer com um senhor qualquer à uns anos, virou-se para mim e perguntou-me: "Eu gostava de saber o que é que tu fazes? Não entendo porque é que as pessoas gostam de te magoar de propósito...mas o que é certo é que gostam!".
Também ainda estou por descobrir como é que eu faço isso.
Acho fantástico ligarem-me, supostamente para saberem como eu estou, e conseguirem destilar aquele veneno que não mata mas moí, não diz nada mas já lá está, aquela brincadeira que não tem graça nenhuma, que eu em dias normais nem me importaria porque digamos que à 25 anos (quase 26) que é assim, mas que ontem atingiu-me exactamente como era suposto (é que eu não ando com dias normais).
E eu calei-me, como faço sempre porque não vale a pena. É uma arte conseguir dizer tudo sem que os outros tenham qualquer tipo de reacção e nem chateados fiquem, e digamos que ela aprendeu com a mestra.

Depois disso, claro que liguei a única pessoa que achei que iria fazer passar a minha nuvem...And I was wrong again, nem sei porque é que ainda me dou ao trabalho!! Por mais que as pessoas se importem, há algumas pessoas que não se vão importar, pelo menos connosco. Podem importar-se com outras pessoas, com outras coisas, com eles mesmos...mas não connosco.
It's sad...really...

E agora coisas mais animadas...por favor, já nem eu me aguento!! Mandem-me calar, atirem-me objectos pesados, façam qualquer coisa...
A festa da R. este fim-de-semana promete ser a bombar...as meninas já estão com os outfits pensados, a lista de músicas já deve estar devidamente preparada e "vai ser só curtir".
A temperatura aumenta a olhos vistos, o que quer dizer que temos praia Sábado e Domingo.
Houve um convite inesperado para ir ver um jogo de Rubgy, não sei se vou conseguir dizer que não (mas devia!).
A irmã B. volta no Domingo.
O pai B. vai viajar e se for muito muito muito querido vai trazer uns Ray Ban novos aqui à B..
Faltam 23 dias para o Estoril Open (para preguiçar ao sol a ver ténis).
.
.
.
And goes on and on and on...

Sinais?!

O mundo é redondo...quando ele girar voltamos a encontrar-nos!!

Parece que é sempre assim, ou então serendipity (?!)...ainda hoje falei dele, e neste momento cá estamos!! Radicais como sempre, na linha mas a pisa-la, a prometer coisas e a fazer planos que só se dermos o braço a torcer é que vamos cumprir!

"Eu já sei que hei-de arder na tua fogueira, mas será sempre sempre à minha maneira!"

Sempre foi assim, sempre há-de ser!
Veremos se mudamos brevemente ou não!


P.S: Se calhar não é o melhor dos planos mas, pelo menos assim, já me reconheço outra vez! Deixar os estúpidos dos sentimentos de lado e viver...like everybody else!

quarta-feira, 7 de abril de 2010

"Anna begins"

Alguém de quem eu gosto muito apresentou-me esta música dos Counting Crowns que, confesso não conhecia e que neste momento adoro.
Para além da música ser linda, a letra é qualquer coisa e obviamente, como em todas as grandes músicas, tem uma historia por trás, o que torna tudo ainda melhor...

Apreciem como eu.
"The song is really about denial. The caracters in the song keep saying to each other 'no, I'm not ready for this sort of thing'. Until the very end, when it's too late and they realize that what they really ain't ready for is the loss. And it's terrible thing to find out, because it's too late..."



"My friend assures me, "It's all or nothing."
I am not worried, I am not overly concerned.
My friend implores me, "For one time only,
make an exception." I am not worried.
Wrap her up in a package of lies,
Send her off to a coconut island.
I am not worried, I am not overly concerned with the status of my emotions.
"Oh," she says, "you're changing.
"We're always changing...

It does not bother me to say this isn't love.
Because if you don't want to talk about it then it isn't love.
And I guess I'm gonna have to live with that.
But I'm sure there's something in a shade of grey,
Or something in between,
And I can always change my name
If that's what you mean.

My friend assures me, "It's all or nothing."
But I am not really worried, I am not overly concerned.
You try to tell yourself the things you try to tell yourself
To make yourself forget. To make yourself forget. I am not worried.
"If it's love," she said, "then we're gonna have to think about the consequences."
But she can't stop shaking and I can't stop touching her and...

This time when kindness falls like rain
It washes her away. And Anna begins to change her mind.
"These seconds when I'm shaking leave me shuddering for days," she says.
And I'm not ready for this sort of thing.

But I'm not gonna break and I'm not gonna worry about it anymore.
I'm not gonna bend, and I'm not gonna break. And I'm not going to worry about it anymore.
It seems like I should say, "As long as this is love..."
But it's not all that easy, so maybe I should
Snap her up in a butterfly net and pin her down on a photograph album.
I am not worried cuz I've done this sort of thing before.
But then I start to think about the consequences,
And I don't get no sleep in a quiet room and...

This time when kindness falls like rain
It washes me away. And Anna begins to change my mind.
And everytime she sneezes I believe it's love and,
Oh lord, I'm not ready for this sort of thing.

She's talking in her sleep.
It's keeping me awake. And Anna begins to toss and turn.
And every word is nonsense but I understand and,
Oh lord, I'm not ready for this sort of thing.

Her kindness bangs a gong,
It's moving me along. And Anna begins to fade away.
It's chasing me away. She disappears, and
Oh lord, I'm not ready for this sort of thing."

Spanish


Hoje não me vou alongar...

Tenho teste de espanhol daqui a 7h e adivinhem o que é que eu estudei?! Exacto...nada, rien de rien!!!
E tenho que falar ainda por cima, eu?! Eu, euzinha... que vou a Espanha e falo inglês porque me irritam os espanhóis e o "no entiendo"!!

Portanto, além do trabalho (pós férias), de ter de sair mais cedo para ir para o teste, de ter médico a hora de almoço ainda tenho que arranjar tempo para o espanhol...a única boa noticia é que acaba hoje!! Obrigada Irmãos pelas graças concedidas!!

Me going, vocês fiquem por aqui...



P.S: Doem-me as pernas de uma maneira parva da corrida de ontem! É o que dá andar 5 dias a por ovos Kinder, batatas fritas e coca-colas para dentro. Lá estarei hoje outra vez...doí, insiste!!!

terça-feira, 6 de abril de 2010

Piz Buin

Tenho na pele cheiro a protector solar...ADORO!!!
Lembra Verão, calor, noitadas, amigos, sangria frescas, esplanadas, churrascos...ADORO!!
E amanhã à mais...nem acredito!!

Obviamente que não há coisas perfeitas, nem dias perfeitos...mas sobre isso prefiro não falar! Parece que tudo gira sempre à volta do mesmo, numa espiral que não consigo travar.
Já não me conheço, olho para mim e nem sei como é que cheguei aqui? Como é que vim tão longe? Como é que me elevei desta maneira? Quem é esta pessoa?

O pior é que agora não sei voltar para trás, para aquilo que era e que conhecia tão bem. Eu conhecia-me bem e desaprendi, deixei de me centrar em mim, de me importar só comigo para deixar alguém entrar e alterar este equilíbrio perfeito que eu tinha. Obviamente, e como em tudo aquilo que eu faço (sempre sem meios termos, graças a Deus), foi demais e agora não sei como parar este comboio, tenho medo de saltar e não posso voltar para atrás! How great is that?!
"When did everything get so screwed up?" Queen B.