terça-feira, 30 de novembro de 2010

Não sei porquê


Eu sei isto não acrescenta nada, nem é importante. Mas veio-me o pensamento parvo à ideia de que eu não sei como é que te sentes e não posso condenar aquilo que não sei.

No final das contas sou sempre eu que me venho embora, que bato a porta e não olho para trás.
Independentemente de o fazer sempre com o propósito de seguir com a minha vida para a frente esquecendo aquilo que sinto por ti e que tu não sentes por mim.
Fica apenas o registo que tu não lutas por nada, nem sequer pelo bom que nós tínhamos, eu não me iria embora se assim fosse.

Vale aquilo que vale. Provavelmente muito pouco, quase nada.
Mas assim que me veio este pensamento à ideia peguei no telefone. Primeira vez que me senti realmente a vacilar neste mês, deve querer dizer alguma coisa...ou não.

Viagens noutros blogs #25

...

O que quero tentar explicar é que o amor merece mais do que palavras bonitas, fotografias emolduradas, presentes, surpresas e promessas. O amor, ainda que estendido no chão e espezinhado, merece respeito e mesmo que nada dessas recordações façam sentido e nos pareçam ridículas, o que realmente deve ser recordado são os momentos de partilha, em que demos do fundo de nós um pedaço do que somos. E é simplesmente nisto que o amor é maltratado: as pessoas partem, esquecem as palavras, as fotografias, as promessas, mas esquecem também que um dia alguém abriu o peito e de lá retirou um pedaço de humanidade para colocar nas nossas mãos. Na esperança de que respeitássemos sempre aquele pedaço vivo e único que retrata a pessoa com quem estamos e que ali permanece nas nossas mãos, mais ou menos amachucado quando deixamos de estar também.


E as pessoas não respeitam. E mesmo sabendo, atiram para um qualquer lugar sujo e escuro aquele bocado de nós tão, mas tão importante que partilhámos, não pensado sequer que isso é diminuir a outra pessoa. Que isso é maltratar o amor que um dia existiu ou que se julgou existir. Que isso é simplesmente demonstrar que nunca estenderam realmente as mãos para nos receber nem por pedaços, nem por inteiro nas suas vidas.

Porque mesmo quando se deixa de gostar de alguém de quem já se gostou muito ou pouco, ainda conhecemos essa pessoa ou temos uma ideia de como a conhecíamos, e faremos de tudo para a respeitar, pois sabemos o que as magoa, o que as irrita, o que as transtorna, o que as incomoda, o que as faz sentir mal. E é aqui que quase toda a gente maltrata o amor: bate a porta atrás de si e faz de conta que não sabe nunca como aqueles olhos já choraram com determinadas palavras, esquece-se em como já reconfortou aquele peito por lhe terem magoado assim ou assado, ignora os medos, as mágoas que lhes foram confidenciadas ao ouvido nos momentos de entrega e se for preciso pisa esse mesmo coração da mesma forma ou de outra.

Essas pessoas maltratam-se a si próprias também, pois se a beleza está nos olhos de quem vê, amar só poderá estar no coração de quem se ama a si.

Stand up


Será que algum dia eu vou deixar de me revoltar quando acho que uma coisa está errada?

Eu sei que muitas vezes espero dos outros atitudes que eles não tem, ou porque não está no feitio deles ou porque não se querem chatear...mas será que sou eu que estou errada em ainda me importar?
Juro que às vezes acho que sou de outro planeta. Será que a única coisa que os move é não se quererem chatear? Mas...e se valer a pena chatearem-se? Bolas...há coisas que valem a pena. Eu chateio-me e defendo todos aqueles que gosto e que acredito merecerem defesa. Tudo bem, tenho um jeito especial para me importar, é o meu feitio, não posso obrigar os outros a ser assim, mas eu também só sou quando acredito, quando acho que vale a pena...

Não entendo. Não se pode passar pela vida sem se chatear, é impossível. E depois olham para mim como se eu é que fosse a estranha. Eu que me levanto quando acho que é injusto e que defendo a minha equipa, os meus amigos e a minha família...eu é que sou a esquisita! Não entendo. E sabem que eu tenho razão, e não dizem nada para não se chatearem e depois ficam a olhar para mim com olhos de bambi. Como se eu fosse a má da fita porque quando dou o peito às balas espero que as pessoas de direito façam o mesmo e me apoiem.

Eu espero demais, deve ser isso. Mas também duvido que algum dia vá ser diferente...não acho que seja eu a estar enganada. Ou sou?

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Não se pede


Tenho os dedos nas teclas, não faço puto de ideia em como escrever isto.

Cada minuto estou mais longe, e não paro de olhar para trás.
Sigo em frente porque simplesmente me recuso a ficar onde estava, a receber menos do que mereço. Não posso. Não quero.
O único problema destas frases semi-tiradas dos meus anos a ler a Cosmos, é que são só clichés. Ninguém explica como é que isto se processa. Ninguém sabe como eu me sinto, como eu te sinto mesmo sem te olhar nos olhos.

É tudo muito giro, eu sou muita forte, muito cheia de mim e dona do meu nariz. Sei bem o que dizer, a minha postura fria e aparentemente indiferente. Não me custa. Eu não faço as coisas quando me custam, essa é a verdade. Não me custa, apesar de estar permanentemente a pensar em ti. Uma coisa não tem nada a ver com a outra.
Eu posso pensar 1000 vezes em como é horrível imaginar a minha vida "para sempre" sem ti. E penso, e doí, e choro porque doí e porque queria que fosse diferente. Mas infelizmente, eu querer só não chega. E é por isso que eu não cedo (e não por orgulho estúpido ao contrario do que se possa pensar), que não me movo 1mm para o lado e, sinceramente, não tenho vontade de o fazer. Não se pede amor a ninguém, da mesma maneira que não se pede amizade, atenção, um pedido de desculpas ou uma conversa. Simplesmente não se pede.

Quotes #42

Claro que não me apetece fazer isto, claroooo!!!
Só o digo para poder imaginar a tua cara do outro lado, se lesses.

Aviso: Vai sair estupido


Não devia tomar o antibiótico.
A ver se os bichos me comiam o coração de uma vez para eu parar de sentir.

Estão a ver a altura do desespero? This is it.
Não posso fazer mais nada, não posso ser mais dura comigo, não me posso impor mais restrições do que ponho e mesmo assim, mesmo com todos os meus esforços para me ocupar e andar bem disposta e alegre, e mesmo sabendo que é só tempo e que passa, porque tudo passa...eu quero agora! Estou farta desta agonia, farta de sofrer e de chorar, farta de gostar.

Se pudesse arrancar o meu estúpido coração, era agora. Neste momento de desespero em que olho para ti sem conseguir parar e que as saudades me esmagam por inteiro.
Como é que eu me fui meter nisto? Que burra caneco. Que burra!!
Avisada, com conhecimento de causa e pela segunda vez...o que é que me passou pela cabeça?
Como se as pessoas pudessem mudar, como se o que acontece à primeira pudesse, de alguma forma, não acontecer à segunda, como se algum dia rapazes como tu olhassem para miúdas como eu...que burra.

É melhor ir dormir.
Estou encurralada de qualquer das maneiras.

Música do dia #2



And I wonder if I ever cross your mind
For me it happens all the time.

domingo, 28 de novembro de 2010

...


Não consegui apaga-las todas.
São só 11.
As minha preferidas.
Aquelas onde és tu, só tu, com tudo o que eu adorava e me fascinava todos os dias.
Mas não as consigo apagar.
Nem quero.

When Harry met Sally


Harry Burns: You realize of course that we could never be friends.
Sally Albright: Why not?
Harry Burns: What I'm saying is - and this is not a come-on in any way, shape or form - is that men and women can't be friends because the sex part always gets in the way.
Sally Albright: That's not true. I have a number of men friends and there is no sex involved.
Harry Burns: No you don't.
Sally Albright: Yes I do.
Harry Burns: No you don't.
Sally Albright: Yes I do.
Harry Burns: You only think you do.
Sally Albright: You say I'm having sex with these men without my knowledge?
Harry Burns: No, what I'm saying is they all WANT to have sex with you.
Sally Albright: They do not.
Harry Burns: Do too.
Sally Albright: They do not.
Harry Burns: Do too.
Sally Albright: How do you know?
Harry Burns: Because no man can be friends with a woman that he finds attractive. He always wants to have sex with her.
Sally Albright: So, you're saying that a man can be friends with a woman he finds unattractive?
Harry Burns: No. You pretty much want to nail 'em too.
Sally Albright: What if THEY don't want to have sex with YOU?
Harry Burns: Doesn't matter because the sex thing is already out there so the friendship is ultimately doomed and that is the end of the story.
Sally Albright: Well, I guess we're not going to be friends then.
Harry Burns: I guess not.
(...)
Harry Burns: Would you like to have dinner?... Just friends.
Sally Albright: I thought you didn't believe men and women could be friends.
Harry Burns: When did I say that?
Sally Albright: On the ride to New York.
Harry Burns: No, no, no, I never said that... Yes, that's right, they can't be friends. Unless both of them are involved with other people, then they can... This is an amendment to the earlier rule. If the two people are in relationships, the pressure of possible involvement is lifted... That doesn't work either, because what happens then is, the person you're involved with can't understand why you need to be friends with the person you're just friends with. Like it means something is missing from the relationship and why do you have to go outside to get it? And when you say "No, no, no it's not true, nothing is missing from the relationship," the person you're involved with then accuses you of being secretly attracted to the person you're just friends with, which you probably are. I mean, come on, who the hell are we kidding, let's face it. Which brings us back to the earlier rule before the amendment, which is men and women can't be friends.


Acho que foi uma má ideia este filme.
Agora sinto falta do meu amigo.



P.S: You know, I'm so glad I never got involved with you. I just would have ended up being some woman you had to get up out of bed and leave at 3:00 in the morning and go clean your andirons, and you don't even have a fireplace, not that I would know this.

sábado, 27 de novembro de 2010

Morar aqui.


Está a ser uma das melhores experiências da minha vida.
Como eu costumo dizer, um luxo. Mesmo na minha casa que tem aproximadamente 40m2.

A nova terapia é caminhar sem rumo pelas Amoreiras, ver as lojas, ver as pessoas. E como diz o G. "vê-se logo quem é daqui de perto. São aqueles que não tem casaco".
Estar a caminho de todo o lado. Não tocar no carro para nada. Ter boleia de toda gente.
Ser a casa-refugio das minhas amigas, o sitio onde há sempre um ombro, umas palavras e um chá quente para consolo.
Ter tempo para fazer cabazes de natal de caixas velhas. Forra-las com papel alegre e colocar coisas novas que deixei de usar sabe-se lá porque (ou melhor, comprei-as sabe-se lá porque), e pensar que vou fazer outras pessoas felizes. Ultimamente tenho gostado muito de tentar fazer os outros felizes. Há um qualquer efeito curador em fazer os outros felizes, parece que apesar do caos emocional instalado na minha vida, isso ajuda de alguma maneira a evitar a solidão e o vazio.

Não me apetece sair do meu cantinho ainda.
E estou a começar a habituar-me a ausência.
A partir de amanha vai ser o tempo mais longo que tivemos longe.
A partir de amanha é a sério.

Música do dia #1



I'm coming out of my cage
And I've been doing just fine
Gotta gotta be down
Because I want it all
It started out with a kiss
How did it end up like this
It was only a kiss, it was only a kiss

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Quote #41

Definitely yes...

Hello Friday


Que levante o braço quem:

- Já está a trabalhar;
- Dormiu 6h;
- Tomou um pequeno almoço de campeão;
- Ouve, de momento, Spice Girls;
- Acorda a "meio da noite" e pensa: "bolas, bolas, bolas, não devia estar a sonhar isto...c'um caneco!! Ahhhh...deixa estar...", vira-se para o outro lado e dorme;
- Está feliz por ser 6a feira, por amanha ir para a praia e por sei lá mais o quê;
- Está desejosa de ir para Madrid;
- Conta dias (não vou especificar);

Isto tudo, tudo e tudo...e ainda nem 8h da manhã são!!
Espetáculo.

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

...

Acho que já não apanho o Mac aberto...ODEIO O MUNDO!

E ainda nem a meio vou.
Se fosse responsável ficava aqui em vez de ir para casa...bolas.

Desejos


Se eu agora tivesse uma pessoa minha, ele agora seria a pessoa mais querida do mundo (obviamente), estacionava à porta do escritório e vinha jantar comigo dentro do carro...um granda McBacon com coca-cola e molho para batatas.

Em não havendo pessoa...hummmm...passo pelas Amoreiras não tarda.
Fazer serão sem fast-food não dá!

Viagens noutros blogs #24

Obrigada ême. Eu não ia conseguir escrever isto com discurso tão racional sem acrescentar algumas palavras azedas:

Se as pessoas soubessem o efeito terapêutico que um "não gosto de ti" ou "não estou apaixonado por ti" consegue provocar, talvez não tivessem tanto medo em dizê-lo, mas não sabem, não podem, não querem, não nada e assim provocam uma insegurança atroz do outro lado e a procura de razões/motivos que o façam entender o porquê de atitudes cerebrais e frias. E procurar é cansativo, há milhares de desculpas que o nosso cérebro consegue inventar para negar uma realidade que - uffa- não é ouvida. Sei lá, assim de repente já inventei umas duzentas desculpas para não ser retribuída e uma delas, lembro-me perfeitamente, tinha a ver com arco íris e unicórnios e o pote de ouro do outro lado do arco íris. A sério. Não se enganem, por mais sinais que existam, a verdadeira cura existe em ouvir o outro lado aquilo que os outros sentidos querem, à força, negar. Ao ouvir, há dor, sim, mas uma dor especifica porque "ele não está apaixonado por mim" e acabou. Literalmente acabou, vira-se a pagina, fecha-se o livro, temos enfim o corpo do morto e podemos fazer o ritual do velório sem procurar na morgue qual era o que nos pertencia, aquele que procurávamos. Depois, o que resta, é a dor no ego, essa coisa maldita que nos faz sofrer atrocidades quando atacado mas, convenhamos, nada que umas boas amigas, uns copos de vinho tinto e algumas horas extras de sono não resolvam (e sim, comprinhas, muitas).

Não sei quantas vezes pedi este não, mas foram muitas. Tantas quantas mo negaram sem misericordia nenhuma. E isso é uma coisa que não posso esquecer, não quero sequer...o egoísmo do eu-não-te-quero,-mas-ficas-aqui-porque-me-apetece.
Não posso. Não vou.

É irrelevante, mas...


Mesmo quando o meu dia é um caos.
Quando acordo 1h antes do normal porque tenho que chegar mais cedo, ando a 1000, almoço em 15minutos mal mastigando...mesmo assim...

Estas aqui. Presente. Sem me deixar em paz. Sem me deixar esquecer.
Eu sei que é a minha cabeça que projecta isto, mas quando se acredita em telepatia é tudo muito mais complicado.

Continua a ser irrelevante.

Quotes #40

Anseio por isto...


quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Popular


Quote of the day:

Catherine: How do you feel today?
Thomas Crown: [Looking at the police] Popular.

In The Thomas Crown Affair.


E btw...um dos meus filmes preferidos!

Beijos

Escorpião: Os nativos de Escorpião beijam de forma muito intensa e os seus beijos são carregados de erotismo. Através do beijo o Escorpião envolve a outra pessoa com toda a sua emoção e também algum mistério. O seu beijo é insinuante, deixando em aberto o convite para um envolvimento mais íntimo. É um beijo que dificilmente se esquece.

Pois...não sei!

Viagens noutros blogs #23

Porque foi escrito para mim e não podia não por aqui.
Porque és a minha melhor amiga e ver-te feliz é a melhor coisas que me podes dar.

Para mim, a pior solidão é aquela em que só queremos estar sozinhos, só queremos estar sós, só queremos estar abandonados. Por opção. Obrigamo-nos a não estar com ninguém porque só assim (achamos nós) é que conseguimos ultrapassar as nossas próprias mazelas. Consideramos que só caindo e renascendo do solo é que nos damos como curados. Queremos sentir-nos mal, despedaçados e de rastos. Para depois, nos erguemos sozinhos.
Nessas alturas, quando somos obrigados a estar com terceiros, fazemo-nos passar por impecáveis, não queremos que as pessoas tenham pena de nós, que nos façam perguntas. Fazemos-lhes a vontade. Estamos com elas, também em parte para aliviarmos a sua consciência de nada estarem a fazer para nos salvar: sorrimos, brindamos, tentamos ser iguais a nós mesmos, mas na versão boa.
Há uma pessoa que eu sei estar, nitidamente, a fazer isso. Sinto, cada vez que estou com ela, que o seu corpo presente, é só para me fazer a vontade. Que o amor e amizade que tem por mim, aquele altruísmo puro e desinteressado, coloca-me sempre em primeiro lugar para me levar a pensar que a estou a ajudar. E eu aceito. Finjo não perceber. É a minha prova de amizade. Também tenho esse direito.

Momento cómico da manha


Vinha a descer a rua e quando passo a frente do ginásio percebo que me esqueci do telemóvel em casa.

Esqueci-me! Pura e simplesmente.
E nem pensei em voltar para o ir buscar. Eu?! Eu que era viciada e não vivia sem o meu telemóvel.
Something is really changing.

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Pergunta?


Há algum lugar mais triste do que aquele em que estou agora?

Estou tentada a dizer aquela frase do "pior do que estou não posso ficar", mas sei que (normalmente) há sempre pior.

Sinto-me perdida, tonta e sem saber o que fazer. Queria adormecer e acordar daqui a 1 mês. Altura em que eu espero, as lágrimas me deixem de picar o nariz cada vez que penso neste assunto.
É que já nem sei porque é que choro.

Do veneno...


Acho que estou a precisar de férias.
De me distrair e deixar levar por coisas novas, sítios desconhecidos e pessoas diferentes.

Não posso culpar o excesso de trabalho. Amigo de todas as horas que está aqui, firme, quando tudo o resto cai como castelos de cartas.
Aprendi há muito tempo que não se brinca com os sentimentos dos outros, não aprendemos isso todos? Aparentemente não.

Preciso de férias. E vou para Madrid. Acho que as minhas amigas me deram o melhor presente que me podiam dar, uma fuga. Não sou boa pessoa, não sou. Queria-te miserável como eu me sinto agora, a partires-te aos bocadinhos e a deixa-los entre a sala e o quarto no meio dessa tua vida vazia e sem significado nenhum. Não minto. Vamos dar um crédito à B. por isso.
Sinto-me como o senhor do Facebook. A única excepção é que eu não sou um génio...bolas!! Não faz mal porque também não quero 25b€. Não preciso, tenho o importante.

Tinha que destilar o ódio para algum lado. Numa tentativa de me sentir melhor, vale tudo certo? Provavelmente até me irei arrepender depois. Não quero saber. Está dito. E as palavras são vãs não são? Gosto de ti, adoro-te, tenho saudades tuas...não vale nada, pois não? Só mentiras!
Já disse coisas piores quando me vem este veneno todo ao de cima. Tenho que espetar o meu ferrão em algum lado!

Porque é que estão a acabar com os blogs? Eu gosto de vos ler. Acho mal. Eu gosto de ler. E podia dizer mentiras agora, mas evito. Posso estar com raiva mas mentir, nunca. Isto não é um jogo, não é uma brincadeira. Já disse isto, achei que se falasse era fácil de entender. Não é! Só entende quem quer. E a raiva não passa, e eu que sou tão boa moça. Uso pérolas e tudo. E não me interessa se o mundo está feliz, eu não estou. E o tempo também não. Não quero, já não quero. Quero que isto passe, que desapareças. Irrita-me ter de ser eu a deixar de fazer as coisas que gosto para evitar esta tortura diária. O mínimo era desapareceres-me da vista. O mínimo. Mas quem é que pode pedir mínimos a pessoas assim. Naive B. naive...

Sei de uma pessoa que se vai rir quando ler isto. Sim tu. Já não vias as minhas true colors há muito tempo. Confessa que tiveste saudades (sarcasmo). Este meu lado negro é bonitinho mesmo. Até o estou a ver aquele abanar de cabeça e o "B. sabes bem que isso não é assim. É só ressabiamento a falar". Voz pausada e calma de quem nunca perde a compostura. Um dia também eu vou ser assim. Indiferente e insensível. Um dia também eu deixarei de sentir e de me importar. O mundo vai ser tão diferente nesse dia!

E agora...publico ou não publico?!
Publico, quero lá saber. Não me sinto melhor de qualquer maneira. It's sad, really!

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

...

I have no cards to play and that's why
I've got nothing to say tonight

Aiiiiii...coisas várias


Acho que estou a ficar doenteeee...não queroooooo!!!
Acordei com o corpo todo a doer e estou a 2minutos de um ben-u-ron. Era só o que me faltava agora, era era!
A outra alternativa é estar toda moidinha do fim-de-semana intensivo dentro de água. De qualquer das maneiras sinto-me assim a modos que pouco bem. O treino de hoje vai ser giro...tenho nodoas negras dramaticas do pulso até ao cotovelo!

Esta semana entramos em retenção de custos. Parecendo que não a crise está brava logo acabaram-se os almoços fora. Volta cantina, estas perdoada! Já não vou lá há...hummm há, não me lembro. Há muito tempo. Com a cantina vem também a retenção calórica, escolher o que se come de manha é muito mais fácil do que quando a fome aperta... e comprei uma saia preta e branca linda (com a qual me encontro agora), mas que mal respiro com ela. Recusei-me a comprar o número acima. É a vida.

Quarta feira é o dia D. O projecto para o qual tenho estado a trabalhar entra finalmente em produção. Claro que ter entrado no dia da greve geral foi um pequena partidinha do destino... ha ha ha, teve mesmo muita graça, sim senhor. Só me saem é duques!

16 é um número que eu não gosto. Mas respeito. Além disso eu agora sou adulta, mesmo quando dizem que parece que tenho 18 anos e eu não me sinta com mais do que 21...a verdade não é essa. Juizinho Miss B. Esta minha tendência para achar piada a coisas diferentes só me dá dores de cabeça. Igual é tão bom, normal é tão maravilhoso. I wanna be a simple girl!

As minhas amigas (com excepção da V.) andam umas desnaturadas. Eu sei que ando uma seca, e que tenho esta tendência estúpida para me isolar, fazer coisas sozinha e não contar com ninguém...eu sei, mas agora não é altura, está bem?! O meu telemóvel anda tão parado que a bateria já aguenta mais de 2 dias. Inédito. Nunca aconteceu, nem quando era novinho em folha. A minha caixa de entrada tem 42 sms em que metade é da Vodafone (odeio a Vodafone e as suas sms, odeio!)...enfim...não me alongo mais sobre isto.

Adorei o jantar do colégio. ADOREI. Tudo. Desde a Eucaristia ao encontro com os profs, jantar, passeio pelos campos... Só tenho pena que tenha aderido pouca gente do meu ano. Já saimos há 8 anos...como é que é possivel?!

Posto isto, e sem mais nenhuma futilidade para partilhar, irei trabalhar.
You know you love me, XoXo.

domingo, 21 de novembro de 2010

You've got the love

...Sooner or later in life, the things you love you lose...

Dreams


É Verão, entra uma brisa quente por entre as cortinas brancas que as faz esvoaçar e criar sombras pelo chão fora. Não sei onde estou, sei que o quarto é todo branco atrás de mim, um armário embutido na parede com a porta entreaberta deixa ver o vazio. Com as janelas abertas a luz intensa entra e reflecte todo o branco à minha volta.
Continuo sem saber onde estou, mas estou sozinha, em frente ao espelho.
Não estou preocupada em saber que sitio é este, que dia é hoje ou que ano. Sentada no toucador da minha bisavó olho para o meu reflexo sereno, apenas de soutien preto. O cabelo caído, preto, brilhante e enorme sobre os ombros. Sorriu-me para o espelho, para mim. Um sorriso contido, mais um ligeiro inclinar de lábios. Olho para o meu peito e um fio de prata cai-me pelo pescoço, nele uma cruz e uma medalha de Nossa Senhora balançam.
Toco-lhes e acordo.

Bom dia Domingo.

sábado, 20 de novembro de 2010

...

Nobody said it was easy, no one ever said it would be so hard.

Right now


Acordar com o sol na cara, saltar da cama e vestir o bikini.

Este é o momento mais aguardado da semana. Chegar à praia, deitar-me ao sol durante 20 minutos, vestir o fato e entrar na água. Sim, está fria. Sim, os meus pés deixam de ter sensibilidade. Sim, até as ondas podem não estar perfeitas...mas para mim? A melhor altura da semana.

Porque quando eu venho da praia não há ninguém, não há nada que me magoe ou preocupe. Estou limpa. Fica tudo dentro de água.
Estou no ir.

Um dia...


Um dia hás-de cumprir tudo o que prometeste: todos os locais e os momentos e o tempo e os beijos e a vida. Um dia serás como sempre quiseste ser. Um dia dirás tudo o que deixaste por dizer. O que dizes não será só o que dizes, mas será o que fazes. E eu continuarei a ser tua, como sempre disseste.


Frases Nicola

Miles away



I'm alright, don't be sorry, but it's true
When I'm gone you'll realize
That I'm the best thing that happened to you

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

"With You I'm Born Again"


Meredith: When we say things like "people don't change" it drives scientist crazy because change is literally the only constant in all of science. Energy. Matter. It's always changing, morphing, merging, growing, dying.
It's the way people try not to change that's unnatural. The way we cling to what things were instead of letting things be what they are. The way we cling to old memories instead of forming new ones. The way we insist on believing despite every scientific indication that anything in this lifetime is permanent.
Change is constant. How we experience change that's up to us. It can feel like death or it can feel like a second chance at life.
If we open our fingers, loosen our grips, go with it, it can feel like pure adrenaline. Like at any moment we can have another chance at life. Like at any moment, we can be born all over again.

A lot like love


Sabem do que é que eu tenho saudades?
Daquelas pessoas com quem temos um entendimento mágico! De ficar horas e horas a conhecer bocadinhos um do outro, com um futuro imprevisível à frente, como se nada mais importasse ou existisse. Aquela conversa que flui sem esforço e que mistura uma picardia, um flirt, um sarcasmo e umas indirectas pelo meio.

Depois de meses e meses a viver num mundo praticamente escrito apetece-me o olho no olho, o sorriso baixo, o toque sem querer, as mil desculpas para estar juntos, o qualquer lado ser bom para sentar e conversar (mesmo um banco de jardim num dia de Inverno).

Tenho tantas saudades de alguém que me acrescente coisas que eu não sei, que me explique a diferença entre um motor de explosão e um motor de combustão, que me surpreenda com ideias que eu nunca tinha pensado antes, que me deslumbre! Tenho saudades daquela coisa alquimica que nem sei explicar, do sim porque sim, do fazer todo o sentido, do não querer estar em mais lado nenhum, das coincidencias, do estou aqui porque sabia que estavas aqui, de gostar de uma surpresa.

Mas acima de tudo, tenho saudades disto tudo sem pressão, sem amigas a acotovelarem-se para saber o que se passa, sem me preocupar se o outro é casado, comprometido ou mais ou menos, se vem ter comigo porque quer ou porque espera alguma coisa, se vai ficar 3 dias, 3 meses ou o resto da vida, se vai ser uma brincadeira ou muito pelo contrário.
Acho que tenho saudades da naturalidade, da inconsciência e da ingenuidade. Não gosto da maneira como os adultos supostamente se conhecem...

Harry Potter


Ir às estreias com as manas é uma tradição...acho que se não vimos todos assim, vimos quase todos. Estes e os da saga Crepúsculo.
Desta vez optamos por ir ao Sábado em vez de ir na Quinta (vamos crescendo e já não depende só de mim). Mais pratico e... a família juntou-se toda. Então vamos todos ver o Harry Potter em programa de família.

Já vos disse que os adoro?

A ler um novo blog...

...e a adorar cada minuto!!

Gosto de blogs com fotografias bonitas, que mostrem sentimentos. Acho que as fotografias ajudam sempre a exprimir mais qualquer coisa...eu pelo menos quando escolho as fotos tento adequar aquilo que estou a dizer.
Gosto de blogs que me pareçam autênticos, reais. Que sejam cheios de pessoas e das suas vivências. Que, como todos nós, tenham momentos altos e momentos baixos.

Descobri que as manhas são muito melhores que as noites. Que acordo feliz por existir, por ser dia e por ter sempre coisas que gosto para fazer e pessoas que gosto ainda mais para estarem aqui.
Descobri que, por mais que me custe, ainda não estou preparada para a vida normal e os dias sem ti. Alias pior, dias contigo sem ti. Não dá. Tenho que eliminar as coisas que me magoam...

Posto isto, vou continuar a ler o blog novo e já cá volto.

Humm...era bom também trabalhar qualquer coisinha, mas hoje estou com aquela preguicite de 6a feira...

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Viagens noutros blogs #22

Era poder acordar a sorrir com uma mensagem de bom dia. Era estar presa no trânsito e ouvir(te) do outro lado do tlm só para me fazer companhia. Era ter alguém para dizer que hoje almocei peixe assado com grelos. Era poder ter(te) para desabafar fiz merdinha no trabalho, estou lixada. Era poder dizer(te) tenho saudades sem medo da não-resposta. Era poder sussurrar no ouvido quero-te. Era conseguir(te) 5min de tempo só por um beijo. Era ficar a trocar mensagens até o primeiro cair para o lado de sono Era poder sonhar (te) sem acordar sobressaltada a meio da noite. Era sentir(te) perto mesmo estando longe. Completamente atada de pés e mãos...



É querer que isto pare e não conseguir...
É querer ter-te aqui e não poder sequer querer!!
É dizer que não falo mais nisto e que estou bem, e não estar...


Por mais que eu me ocupe estás sempre aqui.
Juro que já não sei o que fazer.

A minha princesa

(Aurora)
Sabe eu não devia estar falando com estranhos... mas já o conheço!
Foi você o sonho bonito que eu sonhei
Foi você eu lembro tão bem você na linda visão
E me fez sentir que o meu amor nasceu então
E aqui está você, somente você a mesma visão
Aquela do sonho que eu sonhei...
La la la la la la la la la...
e aqui está você somente você a mesma visão...

(Príncipe Filipe)
Aquela do sonho que eu sonhei

(Aurora)
Ohhh

(Príncipe Filipe)
Queira perdoar-me não pretendia assustá-la!

(Aurora)
Oh não... não foi isso... mas é que você é...

(Príncipe Filipe)
Um estranho?

(Aurora)
Uhum

(Príncipe Filipe)
Mas não se lembra? Nós já nos encontramos!

(Aurora)
Nós dois?

(Príncipe Filipe)
Claro... você mesma disse... uma vez no sonho!
Foi você o sonho bonito que eu sonhei
Foi você eu lembro tão bem você na linda visão
E me fez sentir que o meu amor nasceu então
E aqui está você, somente você a mesma visão
Aquela do sonho que eu sonhei...

P.S: Vi este filme exactamente 1256 vezes.

I'm a dream girl


Blair: This has to be Chuck's dream girl, intelligent, but not a bookworm; strong will, but still feminine; an equal. And he likes brunettes, deep brown eyes.
Dorota: But Miss Blair, that's you!

É bom ouvir elogios...

Sob o signo de escorpião


Não somos todos iguais mas, como pude atestar ontem, temos algumas mesmas características...Gostamos de marcar.
Acho que é aquele sentido de posse do "és meu". E até nos podem marcar também, não interessa... desde que façamos igual.
O mais estranho disto, é que muita vezes até podemos nem querer que o outro seja nosso, mas dá-nos gozo na mesma. Arranhar, mordem, coisas afins...é giro!!

Ou então temos só uma granda panca na mona.

Ahhh e M., hirudoid sis, hirudoid...

Plans


I don't wanna be anything other than what I've been trying to be lately
All I have to do is think in me and I have peace of mind
I'm tired of looking 'round rooms wondering what I gotta do
Or who I'm supposed to be
I don't wanna be anything other than me

Gavin Degraw - I don't wanna be

Tenho saudades de quando ainda estava nos primeiros episódios e ainda faltava tanto por vir.
É como nos livros. Quando gosto muito deles, só gostava de ainda não os ter lido, para poder ler outra vez e ter a mesma sensação como da primeira vez.
Faz sentido, não faz?

Esta era a música que vinha a tocar enquanto descia a rua para vir trabalhar. Sol a bater-me na cara, planos para o dia, para a semana e para mim...gosto de planos!

E depois...

...ponho-me a ler os meus "rascunhos" de há um ano atrás e não percebo como é que demorei tanto tempo para perceber.

A B. é obtusa quando quer.
características fascinantes, a minha personalidade.

Por agora, é assim...

...ou acabo com o assunto ou acabo com o blog.

Passaram 2 semanas. Já chega!

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Quotes #39

Viagens noutros blogs #21

(...) Ninguém gosta de nos ver tristes, perguntam como estamos mas só esperam ouvir uma resposta agradável. Mesmo os que realmente querem saber como estamos, esperam que nos recuperemos em tempo record.
As pessoas nao têm pudores nenhuns de apregoar aos quatro ventos a felicidade, o amor, o coração cheio, a vida que transborda de amor e alegria. Mas parece mal geral esta vergonha de sofrer, de se admitir que apesar de tudo, de tanto trambulhão no passado, ainda não se aprendeu a andar com cuidado. Talvez por isso, quando algo corre mal façam o que aprenderam a fazer aos sete anos, levantam-se e sacodem as maos, desenham um sorriso na cara e fingem que não doi, que não importou tanto assim.
Se há coisa que eu sei é que quem não sente não é filho de boa gente. Que como é normal sentir borboletas no estômago e entoar a marcha nupcial na cabeça depois da primeira noite com o homem dos nossos sonhos (mesmo que seja só por uns breves meses), também é normal ficarmos tristes quando as coisas não funcionam, é normal ficarmos muito tristes.
É uma ilusão estúpida acreditar que por muitos trambolhões que dermos vai doer menos. Não vai. Se alguma coisa, vai doer mais.O maior erro que cometi nestas coisas do coração não foi ter confiado muito, ter dado muito, ter gostado muito. Essa sou eu e espero nunca ser menos que isto. O maior erro que cometi foi ter fingido que não me importava que tudo isso tivesse sido em vão.

Agora...

...quero-te.

Que grandessissima merd**
O dia hoje não está bom!

É por isso que nós nos entendemos...


Ela diz-me qualquer coisa como:

Edward Cullen: ...I'm designed to kill.
Isabella Swan: I don't care.
Edward Cullen: I've killed people before.
Isabella Swan: It does not matter.
Edward Cullen: I wanted to kill you at first.
Isabella Swan: I trust you.

Acrescentando "É horroroso, o que é que eu faço?".
Eu riu-me.
Ela ri-se e responde "Pois...eu sei. Se soubesse a solução aplicavas na tua própria vida, não é?? É horroroso!"

Eu e a minha razão


Muitas vezes sentimos todos o mesmo. A mesma confusão, o mesmo desespero, sim e não, talvez, não sei, e agora, porque não...

Olho à minha volta e é como se visse os caquinhos dos outros misturados com os meus. Quando alguém acaba de se colar outros acabam de se partir... ponho os pés em cima dos meus cacos e cortam-me os pés, os dos outros não cortam, mas magoam-me também de alguma maneira, especialmente se gosto deles.

Ninguém aqui diz que há culpados ou inocentes. Como eu disse à K. no outro dia, eu não sou o capuchinho vermelho e ele o lobo mau...eu sabia, eu queria, eu paguei para ver. E sinceramente, não me arrependo. Tal como eu disse sobre o T. há anos atrás, sim ele fez-me feliz...de uma maneira totalmente distorcida, doentia e que pouca gente compreende, fez. E sem fazer nada de especial, só por existir e estar aqui! Não se explica, é assim e totalmente independente do que veio depois.
Importante é guardarmos as coisas boas e eu, até hoje e de todas as minhas relações (de qualquer tipo) que já acabaram só guardo as coisas boas. Porque quando pára de doer já não faz sentido o rancor e a amargura...só intoxica por dentro.
E eu gosto de guardar coisas boas daquelas que já foram as minhas pessoas.
Mas por enquanto...tenho que me lembrar todos os dias porque é que doí, obrigar-me a pensar nas coisas más, relembrar ponto a ponto porque é que estamos aqui. Só assim é que vou conseguir continuar a fazer aquilo que acho que devo fazer...porque tenho razão!
E vou-me barricar atrás deste muro escondida, eu e a minha razão, sozinhas as duas, até isto morrer de vez.

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Pois é... (cont.)

And I get myself a King...

That's me


Tenho a minha agenda cheia até pelo menos segunda feira.

Entre o trabalho que me leva 10h de dia, ainda há a família, os amigos, cinema, surf, ginásio, a casa, a roupa, os presentes de Natal, a árvore, o Harry Potter...

Que eu gosto é de andar ocupadinha!!
É a minha terapia...

Viagens noutros blogs #20

Eu não consigo escrever. Não consigo expressar o que sinto, porque é confuso e doi...acima de tudo doi.

Mas há quem consiga dizer aquilo que eu estou a sentir, ou partes, quase tão bem ou melhor do que eu conseguiria de momento, e por isso eu agradeço e peço desculpa por citar tantas pessoas tantas vezes.

Estás desejando que acabe, que melhore, que passe, que seja esquecido porque não aguentas a dor. esperas todos os dias que o acordar seja mais doce e o adormecer mais suave, e esperas, e esperas e um dia consegues.O problema é que em vez do alivio vem o vazio, a doçura não chega e nem sequer a suavidade em fechar os olhos acontece, nada. em vez disso, sentes a confusão própria de quem esteve no enredo errado e que agora precisa desintoxicar e saber onde é o seu lugar. A doçura, essa, só vem depois, quando encontras finalmente o enredo certo e até lá? é esperar sem procurar entender muito como se perderam tantos minutos da vida com algo que agora é mera memória desnecessária. Acontece e pronto. Siga.

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Pois é...

ADDISON: There is a land called Passive Agressiva, and I am their queen.
In Grey's Anatomy.

E hoje...

...vou dar o peito às balas!

Algum dia tinha de ser.
Sempre fui mais de enfrentar do que de fugir.
Fugir é para os cobardes, e desse grupo eu nunca fiz parte.
Os reforços estão avisados, as previsões são más, mas...o meu maço de tabaco da ajuda acabou no sabado. E não vou comprar outro...

O luto está quase no fim. Hopefully.




Once I ran to you (I ran)
Now I'll run from you
This tainted love you've given
I give you all a boy could give you
Take my tears and that's not nearly all
Oh...tainted love
Tainted love

Viagens noutros blogs #19

Sem tirar nem por...até a parte dos cigarros!

É para escrever para doer menos, então cá vai. Vou experimentar. Duvido que resulte mas estou por tudo. Se escrever ajuda quero ver se é mesmo verdade. Já foram sete cigarros seguidos. Para quem deixou de fumar é muito, não é? É. Nada, ainda não sinto nada. Continuando. Dói. Só sei que dói. Nem a merdas das letras ajudam. Só estragam. São tão boas a estragar o que parece tão bem. Numa semana consigo ver a minha vida virar e ficar um pequeno embrulho de merda. Porra para a vida. Nada, continuo a não sentir nada. E a faltam que fazem as palavras? Dói mais. Não vai fazer ninguém voltar a compor o que está errado. Parece que foi tudo em vão. Parece que foi tudo um erro. E as apostas? Tantas,não é verdade? Foi só a minha vida toda. E tudo o que se viveu ficam apenas nas palavras. Pois ficam. Tentei mas não ajudou nada. Estou vazia.Dói. Vou tentar a pintura.

domingo, 14 de novembro de 2010

Já posso revelar o segredo...

Agora que já dito oficialmente, já posso revelar... A minha melhor amiga K. vai-se casar!!

O mundo não pára, vamos andando e avançando e não só em idade (ela também faz anos hoje - PARABÉNS K.), a maturidade, aquilo que queremos ser e que queremos fazer da nossa vida começa a tomar contornos mais concretos. É aqui e agora. Já não é um dia quando for crescida.

A vida é assim, eu partidinha de todo, rejubilo de alegria com a felicidade dela, integro-me nos planos, nos vestidos, nas datas e nos temas. Obrigo-me a acreditar no amor e no poder que isso tem na vida de uma pessoa. Outra pessoa pode mesmo mudar-nos, melhorar-nos e estar connosco, aqui, agora e para sempre.

Não revelando já os meus novos votos (dado que não sei onde está o bendito papel escrito há anos...), vocês fazem-me acreditar no amor como eu acho que ele deve ser. E principalmente nesta altura, de confirmação de tantos enganos meus mais uma vez, isso é uma coisa que eu adoro ver!!
E vai haver tanta choradeira no casamento...uiiiiii...make up super water proof!!

sábado, 13 de novembro de 2010

Dias como este


Num dia como este estive 1h à tua espera para estar contigo somente 5 minutos.
Hoje, no mesmo sitio surfei até o sol se pôr. E que pôr-do-sol!!

Estou em paz...



sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Não consigo...


...não te consigo responder as sms porque sei que me vais responder e o meu telemóvel vai emitir som de mensagem. Não consigo ouvir esse som hoje. Não consigo. O meu buraco abre sempre mais um bocadinho quando o ouço...

Last night


Foi massagem de relaxamento oferecida pela C. e pela A....love it!!! Estava mesmo a precisar...zen total! Acho que sou capaz de ter babado o chão através daquele buraquinho da cama de massagem...eventualmente adormeci e acordei e estive ali no limbo durante mais de 1h. Sem pensar em nada.

Foi compras e jantar KFC. Gastei dinheiro, mas eram coisas que precisava (vá, se calhar um corpete de cetim lilás não, mas foi a única coisa, juro). Definitivamente tenho que me começar a alimentar como deve de ser...não ponho o pé no ginásio há mais de uma semana e é sempre a pior hora do meu dia...

Foi bairro para nos despedirmos da T., vai para Roma! Vai adorar. Eu quero muito lá voltar, muito. Deixei pouca coisa por ver, mas fui no Inverno, quero ir com tempo mais ameno para sentir a cidade como deve de ser. Estive com o D., é bom saber que as pessoas acabam por ficar na nossa vida de uma maneira certa, after all. Gostei de o ver.

Ontem foi um dia cheio. E hoje também vai ser. I can't stop.
Obrigada amigos.

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Eu sou adulta


Não sei muito bem explicar o que é que quer dizer "eu sou adulta". A verdade é que, nos últimos tempos, me tenho sentido uma mulher e já não uma miúda inconsequente.
As pessoas à minha volta estão a casar, a pensar em ter filhos, a maioria vive com alguém ou tem namoros estáveis há alguns anos. Eu já não tenho vontade de sair todos os dias da semana, sabem-me bem outras coisas e outros programas. Os homens de 30 já olham para mim à seria e não como se eu fosse só uma adolescente gira, mas os putos surfistas de 19 anos continuam a achar-me graça (e eu a eles!)...

Ainda está tudo um bocado confuso, mas...eu já não posso fazer o que quero e dizer que não sabia. Os adultos já não vão olhar para mim e dizer "deixa lá, ela é miúda, sabe lá aquilo que faz". Eu agora tenho que saber aquilo que faço. Não é que antes não soubesse, mas podia levar tudo na brincadeira. Agora sou uma mulher! É um pensamento assustador, principalmente tendo em conta que às vezes eu me sinto com 20 anos e acho que posso fazer o que quero inconsequentemente. E não posso!

Estou aqui no meio. Gosto dos de 30, mas também gosto dos de 19.
E agora que me sinto solteira novamente isto pode ser um problema...

É o que eu digo, eu já não os procuro mas eles encontram-me! Raios!

Better man

Primeira música do dia:

Waitin', watchin' the clock, it's four o'clock, it's got to stop
Tell him, take no more, she practices her speech
As he opens the door, she rolls over...
pretends to sleep as he looks her over...

She lies and says she's in love with him, can't find a better man.
She dreams in color, she dreams in red, can't find a better man.
Can't find a better man
Can't find a better man
Ohh...

Talkin' to herself, there's no one else who needs to know; she tells herself...
Oh...
Memories back when she was bold and strong
And waiting for the world to come along...
Swears she knew it, now she swears he's gone
She lies and says she's in love with him, can't find a better man...
She dreams in color, she dreams in red, can't find a better man...
She lies and says she still loves him, can't find a better man...
She dreams in color, she dreams in red, can't find a better man...
Can't find a better man
Can't find a better man
Yeah...

She loved him, yeah...
she don't want to leave this way
She needs him, yeah...
that's why she'll be back again
Can't find a better man
Can't find a better man
Can't find a better man
Can't find a better... man...

Pearl Jam - Better Man



P.S: Não me deste sossego a noite toda. Não me deixas em paz nem quando não estás aqui. Leave me alone!!

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Esta serie...estes dois...

We're nothing more than enemies...with benefits!

É o que eu digo, quando não dá, não dá.

Time to go home


Desejosa da minha casa.
E a caminho...


P.S: Não estou com uma simples dor no externo...estou com um buraco.

O que é que eu quero?


Que o mar serene para o fim-de-semana para eu poder ir a praia.
Vestir o fato e dar um mergulho no mar gelado...

Quero tanto!!

Sim, é isso tudo


Sim, estou deliberadamente a evitar o assunto.
Sim, agradeço que não mo lembrei porque infelizmente eu lembro-me bastante sozinha.
Sim, colar isto tudo demora tempo.
Sim, acho que é normal.
Sim, enquanto estiver assim não vale a pena forçarem. Frases como "tens é de ir para os copos" ou "vamos sair porque precisas de conhecer gente"...não resulta. A verdade é que não me apetece conhecer ninguém.
Sim, mais cedo ou mais isto passa-me. Nada dura para sempre.
Sim, parece que passou 1 ano e não 1 semana. É esquisito. Não peçam para explicar.
Sim, eu isolo-me e prefiro estar sozinha. É a minha maneira de ser. Não me vou atirar da ponte, chillax.
Sim, finjo que estou contente e riu-me muito para não me chatearem. Se não me dissessem nada eu não tinha que fingir.
Sim, eu digo que sim a tudo.Não me apetece pensar. Mas só faço o que quero.
Sim, o meu cérebro divaga e eu perco-me frequentemente. Mesmo que sejam conversas sérias ou sítios importantes, assim que alguma coisa me recorda...outra coisa, eu perco a concentração. Não é por mal.
Sim, em tempos disseram que não me iam magoar e olha só. É a vida, não é? As pessoas dizem muitas coisas.
Sim, o problema não é o não. Esse eu só precisava de ouvir porque já sabia. O problema é, não ter ouvido e ter lido.
Sim, não estou preparada para enfrentar ainda. Não vou voltar para trás, mas sei que nesse dia as peças, já de si partidas, se vão partir ainda mais e causar-me um estrago que tenho andado a controlar com grande custo. Não espero nenhuma atitude digna daquilo que eu sei que mereço. Espero cobardia ou indiferença ou ambas...e prefiro não chocar com isso de frente ainda. Não sou assim tão forte quanto se pensa e não estou preparada.
Sim, não é o final do mundo. Mas cada um sabe de si e daquilo que sente. Não se metam com o meu coração que eu também não me meto com o vosso.
Sim, já sei que o que eu preciso é de um homem a serio e não de um puto egoísta que não faz nada da vida. E que tem de ser alguém que me respeite e que goste de mim e que esteja aqui quando eu preciso. E que é melhor assim, e que me fez um favor, e que senão fosse assim eu ia acabar por me fartar e bla bla bla, tem este defeito e aquele e mais o outro...1001. Eu sei. Sei isso tudo e mais ainda. Sei os defeitos todos. De cor. Não muda nada. Gosta-se e pronto, até ao dia em que se deixa de gostar.
Sim, pessoas bonitas só dão problemas.
Sim, um dia vou...X Y e Z...todas as previsões que vocês me fazem e mais.
Sim, eu estou bem. A sério. Podemos mudar de assunto?

IRS

I wish.


...

E hoje adormeci e cheguei às 9.15h...

terça-feira, 9 de novembro de 2010

The Town


Bom filme!
Blake Lively...bom papel, diferente, convincente.
Ben Affleck...uns abdominais que não existem, e braço e tudo! E eu que nunca fui fã...

In this life or the other.


P.S: Eu bem disse que há coisas piores...há quem se apaixone por ladrões de bancos, for Christ sake...

A minha casa


Acho que ainda não dei juice details sobre a minha casa nova, mas cá vai (atenção que vou meter nojo agora!!):
- É mini, micro, pequena e mais todos os sinónimos que arranjarem;
- Todas as paredes são janelas e por isso eu digo que moro num aquário;
- É linda, está toda nova é mega giraaa;
- Demoro exactamente 8 minutos a chegar à Avenida (de carro), 2 minutos a chegar às Amoreiras (a pé) e 5 minutos a chegar ao ginásio (dependendo dos semáforos, claro)...o sonho, acordo a horas indecentes agora, tipo 8h da manha;
- Tem luz que nunca mais acaba;


Estou feliz!

E hoje, acordei assim...


Dormi bem.
Pus uma venda nos olhos (ainda não tenho cortinas)...perfeito!!

Já me sinto em casa.
Adoro a minha capacidade de regeneração. Posso estar partida, sei que agora estou bem e daqui a 10minutos a minha cabeça me prega uma partida e volto a sentir os vidros todos debaixo dos pés, mas não há nada que dure para sempre. Ninguém é insubstituível...

Talvez

"o que é que o prende aqui quando tudo lhe diz que deveria partir? por causa do modo como ela olha para ele, talvez, a ferocidade do olhar dela, a intensidade arrebatada que há nos olhos dela quando o escuta, um sentimento de que ela está inteiramente presente quando estão juntos, de que ele é a única pessoa que existe para ela à face da terra."
Sunset Park, Paul Auster

Parece-me uma boa razão.
Válida pelo menos.
Não muda nada na mesma.

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Quote #38


Quero muito chegar a casa (e ainda falta tanto!). Senti-la minha e tentar, nem que seja por 5minutos, parar este vazio que me tem acompanhado durante o dia...

Aiiiiiiii...odeio sentir-me assim!!

Acordei assim




E não há maneira de me passar.
Parece que foi há uma vida atrás já.

Estou mais só do que sozinha...