sexta-feira, 23 de julho de 2010

Packing


Sinto alguma angustia de momento.
Não sou nada boa a despedidas, dá-me sempre um aperto.

Claro que amanha nem me vou lembrar disso, mas agora estou assim. A ouvir música calma e a fazer a mala lentamente para não me esquecer de nada (mulher prevenida vale por duas).

A irmã M. fez-me aquilo que eu costumo fazer aos outros, e que é terrível:

M.: Promete-me que voltas.
B.: Claro que volto, que parvoíce!
M.: Promete que voltas bem.
B.: Volto bem.
M.: Promete.
B. Prometo!

Dor no externo.

Parece que há certos medos que são hereditários. Mas ela é tão parecida comigo em certas coisas que provavelmente era impossível ser de outra maneira!!

Estou OFICIALMENTE de férias


Só para saberem.
Estou feliz e contente.
E consegui manter-me on schedule para a hora da saída!!!
Sou a maior!

Marrocos


Ainda não partilhei o meu destino de férias... Marrocos!!!!
Depois de algumas (muitas) indecisões sobre se ia ou não ia, decidi (finalmente) há duas semanas que ia. Não é que eu não quisesse ir, mas havia certos detalhes que não me deixavam exactamente confortável e havia todo um sem numero de complicações na minha cabeça...
Decidi ignorar esse detalhes e vou, e vou mesmo e vai ser lindo.

Também não foi preciso decidir antes se ia ou não...conjugamos o verbo ir e decidimos (há poucos dias atrás) o nosso destino. Vamos sem destino! Vamos passear por Marrocos.
Pegamos no guia, decidimos o que queríamos ver, traçamos um volta, hora de saída amanha e siga...15 dias de total liberdade, telemóvel restrito e sem internet (o que significa que não vou vir ao blog por muitos dias).

Amigos, muita areia, chá de mental, camelos, cataratas, surf e vamos embora.

A mala ainda não está feita, ainda não fui ao supermercado comprar protectores e repelentes, ainda não me despedi de ninguém, só sei os nomes dos sítios (porque tive de descansar o pai B.) mas ainda não olhei sequer para o guia...basicamente não tenho nada organizado and you know what?! I don't give a damn...

Eu só sei que quero ir...e o resto?!
O resto é o resto e eu não quero pensar nisso.
Quando eu voltar logo se vê.

8h para entrar de férias

Vi logo de manha o cartaz do Toy Story 3 e vim o caminho inteiro a cantar:

"Sou teu amigo, sim!
Sou teu amigo, sim,
Sou teu amigo, sim,
quando a vida corre mal
e tu ficas só e sentimental,
sou alguém que gosta e é leal,
tu tens um amigo aqui!

Eu sou teu amigo, sim.
Não sou mais forte nem sou
mais inteligente que tu
quando estou aqui, não sei.
Mas mais ninguém é mais amigo
que eu e tu,
só nós os dois, pá!

O tempo vai passar
e sem nos modificar,
a amizade não vai ter fim,
sou teu amigo sim!
Eu sou teu amigo sim,
sou teu amigo sim!"

Hoje quando acordei senti a falta.
Abri as cortinas, deixei o sol entrar e voltei a deitar-me na cama.
O pensamento foi: B. não vais ficar triste, último dia de trabalho, amanhã estás de férias e vais viajar. Não vais ficar triste, não vale a pena!

E não fiquei...

quinta-feira, 22 de julho de 2010

High maintenance girls



"Harry Burns: There are two kinds of women: high maintenance and low maintenance.
Sally Albright: Which one am I?
Harry Burns: You're the worst kind; you're high maintenance but you think you're low maintenance.
Sally Albright: I don't see that.
Harry Burns: You don't see that? Waiter, I'll begin with a house salad, but I don't want the regular dressing. I'll have the balsamic vinegar and oil, but on the side. And then the salmon with the mustard sauce, but I want the mustard sauce on the side. "On the side" is a very big thing for you.
Sally Albright: Well, I just want it the way I want it.
Harry Burns: I know; high maintenance." - When Harry met Sally

Tem dias que há quem pense que eu sou low maintenance. Tem alturas em que eu própria me obrigo a isso...easy and simple, apetece-me, faço...tranquilo...

Mas quem me conhece sabe que jamais será verdade.
Eu só sou low maintenance quando me estou literalmente nas tintas, que é como quem diz, estou-me borrifando para o que dizem e o que pensam de mim e só faço o que quero. E ai ficam todos animadinhos..."ehehe que giro ela até está a responder as sms todas e antes não respondia a isto", "ehehe ainda me vou safar com esta miuda hoje"...cansa-me!!!
Amigos, se eu respondo a coisas ridiculas que antes não respondia, é porque me apetece coçar o meu ego, porque me sabe bem ter alguém a dizer que eu sou uma brasa de gira e que quer estar comigo, porque tenho que diversificar as minhas sms enviadas...não necessariamente porque vou fazer alguma coisa efectivamente!!
Cansa-me que após anos de conhecimento da minha pessoa ainda achem que eu finalmente vou aceder a pedidos parvos com a facilidade de dá cá aquela palha, meia dúzia de piropos e já está. E eu sei que é sempre o triunfo da esperança sobre a experiência, mas mesmo a serio...low maintenance, eu?!

Peço desculpa por isto, é um desabafo e tem um destino especifico, mas é que há gajos que me enervam...quando já me deviam conhecer! Se as mesmas técnicas não resultaram nos ultimos 4 anos...hummm...eu diria que não vão resultar agora!!! Mas isto sou só eu que acho...

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Cada um com o seu feitio


Habituei-me desde pequenina a cuidar de mim sozinha. A bastar-me a mim própria e a não precisar de ninguém. Desde os 10 anos que eu tinha passe para todos os transportes, sabia os números dos autocarros de cor e cumpria as minhas obrigações sem precisar de ninguém para me ir buscar e me ir pôr. Há excepção do exame cujo-o-nome-não-deve-ser-pronunciado há duas semanas atrás, não me lembro da ultima vez que alguém me acompanhou ao médico ou cuidou de mim de alguma maneira...até com uma rotura de ligamentos no joelho, fui eu que fui a conduzir sozinha para o hospital e vim! E isto não é a B. a fazer queixinhas do mundo em geral...é assim, não me lembro sequer de ser de outra maneira...

Tem dias que eu deixo a minha mãe cuidar de mim, mais porque sei que ela gosta do que exactamente por precisar. Deito-me na cama dela quando estou triste e peço colo. Sei que se o colo não estivesse lá eu sobrevivia, mas sei que ela gosta de sentir que eu preciso de alguém...torna-me mais normal!
Percebi há cerca de um ano que nunca espero que alguém altere a sua vida por mim, esse pensamento está tão enraizado aqui dentro, que eu faço sempre o que quero, porque assumo a partida que os outros não querem saber e portanto, eu sigo em frente.
Há um ano atrás (quando eu descobri isto sobre mim) ia ter com a K. a Tróia. Como sempre iria sozinha, tranquila, apanhar o ferry e supostamente quando chegasse, alguém sairia da praia e me iria buscar. A K. começou a insistir nas horas e em saber a que horas eu chegava...eu comecei a passar-me. O que é que interessava??, não queria estar a correr, chegava quando chegasse!
Ela ligou-me, passada como só ela sabe ficar e disse-me:
"Estamos todos em casa à tua espera! O mínimo que podes fazer é dizeres a que horas é que chegas? Decidimos esperar por ti para ir para a praia, e para ti é tão estranho alguém mudar alguma coisa por ti que nem te apercebes do egoísta que isso te torna. Se eu estou a perguntar a que horas chegas e porque quero saber, porque me importa, porque estou a tua espera. Agora...a que horas é que chegas?"
E calou-me. Com essa, acabou comigo.

Eu sou independente porque sou independente. Cuido de mim e dos meus problemas muito facilmente, e normalmente sobra-me mais que tempo para cuidar dos outros e me preocupar com eles. E quando gosto preocupo-me muito...muito a ponto de ser chata e paranoica e de me obrigar a parar com isso e a ser racional - é que por uma fracção de segundo (e sem jamais dizer a ninguém) eu só queria que a pessoa ficasse presa ao pé da cama e pronto...resolvia-se o problema!
A verdade é que os nossos medos mais antigos são os piores, e eu tenho verdadeiro pânico de perder as pessoas. Não é perde-las delas se afastarem de mim, é perde-las mesmo naquela do para sempre...

E apesar de muitas vezes, tal como a K. o faz, se confundir a minha independência com egoísmo, a verdade é que eu não me considero minimamente egoísta. Eu não penso só em mim...apesar de ser verdade que, na maioria das vezes, eu só faço aquilo que quero.
Mas tem dias em que eu só queria não ter de ser independente, não ter de ser forte, não ter de me bastar a mim mesma. Encostar-me só e ficar em silencio, protegida... e esperar que alguém me venha ajudar a matar as baratas sem eu ter de pedir...não porque eu precise, mas porque sim.

Uiii...este saiu sincero hoje!



P.S: Afinal não havias filhos da realeza. Depois de 4h de limpeza profunda e de arrastar tudo, nem sombra de baratas na casa...

O que eu me ri com este dialogo


"Y.: Tenho os ombros tensos.
B.: Toma uma aspirina.
Y.: Não me fazes uma massagem?
B. [Abanando a cabeça] Segundo a Cosmopolita, dois terços das massagens acabam em sexo.
Y.: As nossas nunca!!
B.: Precisamente. É esse o problema.
Y.: B....
B.: Até Segunda."

Por acaso este diálogo não é meu, é do livro que estou a ler agora.... mas podia ser, podia tãooo ser!!!

terça-feira, 20 de julho de 2010

Voltei a odiar o final


Mas gostei da frase.

"All in an instant, everything changes.
We leave the past behind and speed toward the unknown… our future.
We set out for far-off places and try to find ourselves, or try to lose ourselves exploring pleasures closer to home.
The problems start when we refuse to let change happen and cling to old habits. But if we hold on to the past too tight, the future may never come." Gossip Girl Season 3 finale

I am setting out for a far-off place. Everyday, I'm getting closer and closer...
Futher, so much futher from...well, from whatever this is.

J. e B.- 2 baratas - 0


Ontem tinha uma barata em casa. Uma barata não, a realeza das baratas, um baratão gigante castanho, nojento...inacreditavel!!!
E eu que me tinha rido à farta quando a V. me contou a aventura dela com a barata em casa.

Não contente em morrer uma, quando fomos a ver havia outra. O rei e a rainha das baratas na minha casa. Gigantes e gordas! Recuso-me a acreditar que posso ter estado a criar aquilo em casa, à meses sem ter dado conta.
Confesso que até já tinha comprado a maravilhosa espuma branca da Baygon, just in case. Mas nunca precisei de a usar, a minha casa sempre foi imaculada de bichos e eu já me mudei à mais de um ano. Neste tempo todo vi duas miseras aranhas e uns bichinhos da prata minúsculos, nunca uma coisa daquele tamanho.

Senão fosse a J. a estar lá em casa para as matar nem sei, que nojo!! Q-u-e nojo!!! Agora destaquei a brigada, diga-se a mãe B., para ir lá a casa arrastar moveis e por Baygon em todo o lado. Não aguento outra noite sem dormir a pensar que vou ter bicharocos a subir pelos pés da cama. Tenho de me certificar que matei todas e que lavei o chão inteiro com lexivia e liquido verde e que não vou chegar de Marrocos e ter uma barata party em minha casa.

Eu não mereço isto...

segunda-feira, 19 de julho de 2010

I have a thing for old movies

E faltam-me ver montes.
Tantos que nem sei bem quais. Mas pelo menos todos os da Audrey Hepburn, pelo menos!

Os filmes antigos têm qualquer coisa que eu não sei explicar...Simplesmente gosto muito.
Este fim-de-semana, dei a conhecer às irmãs B. o "Cleopatra". No final de 4h de filme a M. pergunta, "e acabou tudo? Acaba assim? Porquê?"
E eu, como irmã mais velha, só lhe pude responder que era o amor, para o bem e para o mal. Todas as decisões politicamente mal tomadas, todas as pessoas chateadas e com intenções de vingança...a prova de que nem toda gente pode ter e fazer aquilo que quer, mesmo que queira com muita força.

"O que não largares, jamais te será tirado" by Julio César.

Ontem para manter o registo andei ainda mais para trás (1942) e revi o Casablanca. Nada mais apropriado, nesta altura... faltam 4 dias para Marrocos.

"You must remember this
A kiss is just a kiss, a sigh is just a sigh.
The fundamental things apply
As time goes by.
And when two lovers woo
They still say, "I love you."
On that you can rely
No matter what the future brings
As time goes by.
Moonlight and love songs
Never out of date.
Hearts full of passion
Jealousy and hate.
Woman needs man
And man must have his mate
That no one can deny.
It's still the same old story
A fight for love and glory
A case of do or die.
The world will always welcome lovers
As time goes by.
Oh yes, the world will always welcome lovers
As time goes by."

sábado, 17 de julho de 2010

Not yet?! Ou então sim...



Pois é, comi-o!!! Cansei-me.
E não estava podre, estava óptimo!
E agora vou para o meu bunker, à prova de projecteis inimigos!!
E vou lá passar o dia inteiro. De bikini amarelo e àgua nos pés.


Sometimes


Vais morrer aos poucos porque eu não te consigo matar depressa.
Eu sei que assim chateia mais, durante mais tempo. Que se transforma numa coisa superior a mim que me sufoca...mas não vale a pena tentar matar-te depressa!!

Hoje acordei mais uma vez cansada, de tentar, de me esforçar, cansada de querer mesmo... farta, fartinha, tão tão farta. Sabendo porém que nada posso fazer sobre o assunto, a não ser esperar que morra sozinho.

Olho para dentro de mim e vejo-me a tirar-te o alimento aos poucos, a cada palavra mal-entendida, a cada gesto mal interpretado, a cada momento de indiferença, a cada vez que me digo "não vale a pena", a cada esforço vão por qualquer coisa que, eu já nem sei se quero...
Tem dias que penso nisso, se quero mesmo? Ou se é só obstinação? O meu feitio de escorpião a querer aquilo que não pode ter. E ai tenho medo de magoar com os meus enganos, de perceber tarde demais que afinal não era isto que queria, que só lutei porque é difícil e porque eu gosto da luta, do desassossego, e do frio na barriga.

Tenho medo. De me enganar, de me magoar (ainda mais), de voltar a estar 7 anos a insistir em coisas vãs e em dias perdidos, agarrada a lembranças de coisas que foram (quando bem esprimidas) tão pouco importantes. Como diz a Feiticeira, a bagagem que levo na mala é demasiado pesada (mesmo para mim que não sou uma frequent flyer), enganei-me ano após ano no passado, enganei-me cada vez que insisti e que tentei, e não quero que isso volte a acontecer. Não me quero enganar, só quero saber se vale a pena esperar e insistir ou se não vale?!Assim...ganhar ou perder...sem engano!! Sim ou não?
Talvez não haja respostas absolutas, talvez nem sequer me saibam responder ou talvez nem seja importante. Sinto isto a morrer aos bocadinho, todos os dias mais e mais, sem nada que eu possa fazer. Antigamente os dias eram todos cheios, bastava só existir para ser tudo perfeito...como é que se chegou aqui? É que eu olho para trás e não percebo...

sexta-feira, 16 de julho de 2010

Perfumes


Homens que lêem este blog (se é que há homens que lêem este blog, mas vá), façam um favor as mulheres em geral e à B. em particular...adquiram o novo perfume da Ralph Lauren, o da The Big Pony Collection Nº4!!!

Vá lá...a serio! Não se aguenta de tão bom o cheiro deste perfume. Tenho a amostra em cima da mesa de cabeceira desde a festa, é perfeito!

Eu sei que faço parte de uma minoria que liga as pessoa, os sitios e às vezes até o tempo aos cheiros, mas mesmo para quem não ligue...é muito bom!

Cem anos de solidão

Acabei hoje o livro.

Foi difícil. A historia é composta. Mas tem um misticismo, e uma noção de destino, de família e de tradição que me fez adorar.
Demorei praticamente 6 meses a ler e fecha um ciclo.

A V. deu-mo num dia em que achei que o mundo todo ia desabar, entro em casa dela de olhos inchados, lenço na mão, começo a desbaratinar a contar toda a razão daquele aparato, como se tivesse morrido a família toda...falei, falei, falei, chorei, chorei, chorei, e ela na sua calma pegou no livro e disse:

V.: Toma, é para ti.
B.: 100 anos de solidão? Que apropriado V.!!!

Ela pega na caneta e escreve-me a seguinte dedicatória:"Para a minha princesa com um grande beijinho. P.S: Acredita que na vida tudo faz sentido. 27/01/2010".
E ela tem razão, até um relógio parado faz sentido duas vezes por dia.

E como todos os livros tem uma frase que marca, a deste veio nas ultimas 10 paginas (as minhas preferidas): "E sem que ele tivesse revelado que chorava de amor, ela reconheceu imediatamente o pranto mais antigo da história do homem".

Gabriel García Márquez - Cem Anos de Solidão

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Mr. Brightside

"I'm coming out of my cage
And I've been doing just fine
Gotta gotta be down
Because I want it all
It was only a kiss, it was only a kiss
Now I'm falling asleep
And she's calling a cab
While he's having a smoke
And she's taking a drag
Now they're going to bed
And my stomach is sick
And it's all in my head
But she's touching his chest
Now, he takes off her dress
Now, letting me go

And I just can't look its killing me
And taking control
Jealousy, turning saints into the sea
Swimming through sick lullabies
Choking on your alibis
But it's just the price I pay
Destiny is calling me
Open up my eager eyes
Cause I'm Mr Brightside"
Killers - Mr. Brightside
Gosto desta música, é muito eu!!

O mundo não se vira #2


X.: Sabes...acho que te vais apaixonar por mim!
B.: [a sorrir] Achas?!
X.: Porquê tu não achas?
B.: Não sei. Mas gostava...

Preciso desesperadamente de férias...

A serio. Estou naquela fase em que já não vejo nada a frente, em que já não me apetece voltar depois do almoço...é grave! É que não me apetecer levantar de manha, é normal...mas tornar-se insuportável o pós-almoço e trabalhar muito, muito depressa para sair rápido...difícil!

Sinto plena, imensa e verde inveja de quem está na praia...só quero cabelos salgados, areia nos pés e sol a queimar a pele.

She's only happy in the sun...


quarta-feira, 14 de julho de 2010

Uma TPM estranha


Semana de TPM, quando dá para descambar costuma ser o piorzinho que há.

O dia começou na loja do cidadão e quando me dá para chorar porque a senhora da DGV me diz que eu tenho que ir ao gabinete do lado, tirar uma senha, fazer mais não sei o quê e voltar, é porque as minhas hormonas não estão boas! E a tendência é sempre para piorar...

No entanto, depois desse pequeno momento que se pode considerar "normal", o mood do resto do dia tem sido estranho. Tão estranho que estou permanentemente à espera da altura em que isto vai parar e eu vou desatinar. Parece que estou em mar calmo, já tive stresses aqui hoje e nada me perturbou o sossego. Os meus batimentos cardíacos já me aumentaram, mas sem o sangue me ferver ou me irritar, de uma maneira serena e de sorriso na cara.
Acho que não estou a fazer sentido nenhum, mas pronto...

Anyway, no fundo é só estranho. Gostaria que este mood durasse.

Quote #9

Everybody has secrets.
Não é bom nem mau. É assim!
E eu não sou excepção.

Moments of truth


Os momentos de sinceridade fazem aquilo que eu sou.
Raramente faço o que "é suposto" e me dizem para fazer. Se vai contra aquilo que quero então e se se torna insustentável, não consigo e se consigo fico triste, mais triste do que consigo aguentar.

Acho que ontem descobri que talvez a paz de espírito me deixe mais triste do que o constante desassossego...não sei! Já não sei...não sei para que lado me virar.
Sinto aqui esta coisa enorme e não sei o que fazer com ela. Se por um lado só tenho medo, por outro só me apetece andar para a frente ou então fugir. Conseguir fugir era bonito! Apreciava tanto um botão de on/off!!!
E embrulha-se tudo e eu já não sei outra vez.

Por agora apetece-me fazer o quero. E fiz. E vou fazer mais se me deixarem.
Sou assim, e não sou perfeita...


"Tememos a morte, sim. Mas nenhum medo é maior que aquele que sentimos da vida cheia, da vida vivida a todo o peito." Jesusalém, Mia Couto - tirado daqui http://sem-avisos.blogspot.com/2010/07/dicionario-dos-medos.html

terça-feira, 13 de julho de 2010

Quote #8

E é isto...

Gosto desta frase!!
É uma coisa que eu me vejo a dizer. Tudo muito sério, conversa muito séria e no final...puffs..."I like it when you're naked, too". Só naquela do informar caso não se tivesse percebido.

E se há coisa que eu sou boa é a informar. Quando vejo... pronto, já foi, já disse...fantástica!!
Impecável B., impecável!

For my mother...


Eu sei que não sou fácil, que me irrito com as tuas preocupações constantes, que me enerva todo o drama que fazes apenas porque achas que eu sou irresponsável e tens medo que me aconteça alguma coisa. Sei que entro a bater com os pés quando estou chateada, que perco a cabeça muito depressa, que raramente digo que tenho saudades tuas. Sei ainda que achas que eu devia ser mais querida, mais sensível, que devia ajudar mais, estar mais presente, não deitar fogo pelo nariz quando me pedes qualquer coisa. Sei que me aturas mais coisas do que qualquer pessoa, que conheces mais de mim e o pior de mim, que já me viste passada como nunca ninguém viu. Sei que às vezes te assusto com as minhas ideias peregrinas, que tens medo que um dia me passe e me vá embora e que fique sozinha para sempre porque tento constantemente ser mais fria do que o que sou na realidade. Sei que achas que eu afasto as pessoas que gostam de mim, que praguejas e rogas pragas a todos os que por alguma razão me magoam (mesmo que a culpa até seja minha), que achas que eu estou sempre bonita nem que esteja vestida de encarnado, laranja e cor de rosa tudo misturado, que para ti não existe nenhum cabelo bonito ou mais forte, nem ninguém que seja suficiente!

E tenho consciência disto tudo, e de que nem sempre te trato como devia. E como eu penso muito no porquê das coisas (?!?), cheguei a conclusão que isto se deve ao facto de eu ter a certeza que vais gostar de mim, muito, e para sempre. És talvez a única pessoa de quem eu posso dizer isso! Não te importas se eu ligo a chorar, sabes de cor os timbres da minha voz e o que é que eles querem dizer, deixas-me dormir na tua cama, mesmo quando eu chego muito, muito tarde e tapas-me quando eu tenho frio, independentemente de eu ter sido uma respondona irritante...que eu sei que sou, a maioria das vezes! O facto de saber que vais estar cá para sempre faz com que eu tenha de me esforçar menos, é verdade...sou humana, acho que isso acontece com toda gente. És minha, a minha mãe e por isso eu perco cabeça mais depressa, enervo-me muitas vezes sem necessidade e normalmente nem sei porquê...contigo eu posso ser eu, do piorzinho que há e dizer tudo o que me passa pela cabeça.

Não consigo ser querida e lamechas todas as vezes que gostarias, não consigo estar sempre em casa a fazer-te companhia, não gosto dos sítios calmos que tu gostas, não consigo ser serena e pacifica...mas estou cá quando tu precisas. Quando é preciso alguém que não abale, alguém que resolva, alguém que ande para a frente, alguém que analise friamente e te diga que vai tudo correr bem. Porque vai...porque nós somos nós, com todos os problemas e asneiras que fazemos, juntos resolvemos sempre tudo. Always and forever mum.

PARABÉNS!!

segunda-feira, 12 de julho de 2010

B's lesson #5

Fujam de homens bonitos.

Não, mas não é fugir ao de leve, corram mesmo na direcção oposta e escondam-se, não se vá dar o caso de uma pessoa estar fugir e ser encontrada.

Homens muito bonitos só dão trabalho! Acreditem...

O mundo não se vira


B.: És o meu amor das férias!
X.: Eu não quero ser só o teu amor das férias.
B.: Não sejas parvo, não sabes o que dizes...

E conseguiram irritar-me, sem eu ainda perceber porquê!

Ainda bem que o amor é lindo. Não, a sério...ainda bem que alguns amores são lindos e tão fortes, mas tão fortes que conseguem lixar um pessoa durante meses para depois passar às outras em algumas semanas. Lovely!!!Melhor que isso só...impecável!
A serio, ainda bem que já estamos todos felizes novamente, adoro! Agora não estou a ser boa pessoa. Desculpem...tem dias que sou mais que outros.

E com isto lembrei-me de um post da June há uns dias...sobre a PDM* e o TBOPNC**...decidi ir pesquisar o blog original (da Sirigaita) para perceber melhor os conceitos. Confesso que acho que não tenho PDM nem consigo aplicar o TBOPNC...não pelo menos com os FDM*** que gosto e que na maioria das vezes merecem mais que quaisquer outras pessoas que levem com as minhas manias.
É que quando não gosto é tão fácil, eu sou tão mais eu...B. dos pés à cabeça, sangue quente, pelo na venta e mau feito ao extremo, força da natureza, cara de má e postura de "não me vais tirar o sono nunca na tua vida inteira nem que mates". Eu já disse coisas a pessoas que até Deus duvida!! É só apanharem-me como estou agora, não gostar/importar o suficiente para ser politicamente correcta ou estar a jogar...e quando eu entro no jogo ninguém me pára.

Eu já joguei o jogo da PDM: "O primeiro sintoma aparece quando, por exemplo, o possível futuro namorado diz que hoje não pode estar com a PDM. A resposta de alguém com a "puta da mania" vincada é: "Íamos estar juntos hoje? Esqueci-me de apontar na agenda e entretanto combinei sair com a X." Subtil, directa, indiferente...Toma lá e não digas que vais daqui de mãos a abanar." (in http://mundodasirigaita.blogspot.com/2010/06/puta-da-mania.html), já, confesso...e sou óptima. Apesar de me ferver o sangue quando percebo que estão a tentar fazer o mesmo comigo!!!
Mas agora estou mais no jogo do TBOPNC... estando de facto a aplicar o conceito na perfeição.
E digo neste momento uma coisa... prefiro a raiva, prefiro ver vermelho, irritar-me, odiar. Prefiro isso do que sentir que estou a perder alguma grande coisa, quando sei que não estou. Não estou a perder nada, de grande só o tamanho mesmo...mas sei quem está...sei, sei, mas não vou dizer.
É que se pensarmos racionalmente, e se perguntarmos a quem quer que seja, percebe-se perfeitamente quem é a parte que está a perder alguma coisa aqui...

I'm a princess, e tem momentos, a maioria dos momentos alias (não este, claramente) em que, além de princess sou uma senhora, um ser maravilhoso que só tem um problema, está permanentemente a dar coisas a quem não merece.
Felizmente, todos os erros tem correcção...



*PDM: Pu-- da mania.
**TBOPNC: trata-me bem ou põe-te no caral--. Eu sinceramente prefiro o TBOPNP: trata-me bem ou põe-te nas put--.
***FDM: Filhos da mãe.

Hoje, este post mudou o meu dia...



"A minha vida não é perfeita, não acordo todo os dias maquilhada e com ondas perfeitas no cabelo. A bem da verdade, às vezes acordo maquilhada mas é porque fui preguiçosa demais para me desmaquilhar antes de ir para a cama. Nem todos os dias estou feliz, seja com o trabalho, a minha conta bancária, o meu armário ou o meu namorado. Felizmente é raro o dia em tudo corre mal, por isso é como se diz: uma mão lava a outra. O que me salva é o meu optimismo. Sou optimista como sou morena. Sou e pronto. Acho sempre que tudo se resolve e a sorte premeia os valentes, os que arriscam e dão o peito às balas. Não sou muito orgulhosa e não acho que venha mal ao mundo assumir que errei, ou que há coisas que preferia não ter vivido porque se calhar era uma pessoa com uma bagagem mais levezinha... dá jeito a uma frequent flyer. Sou paciente demais e egoísta de menos. Eu gosto do silêncio, de estar sozinha no meu canto, de ler, escrever e ver filmes antigos. Quem acha que vem aqui e lê duas ou três patetices que eu escrevo e me decifra é pateta. Eu não sou mistério, enigma ou quebra-cabeças. Acho que a vida tem sido muito generosa comigo e quando rezo costumo agradecer mais do que pedir. As merdas que já me tiraram o sono são merdinhas, caganitas de ratos, nada que apoquentasse alguém que não se preocupe comigo. Tudo o que eu quero é ser mais feliz mais vezes."


Depois de um fim de semana de carga emocional algo pesada a única coisa que eu posso mesmo dizer é EU SÓ QUERO SER FELIZ!
Com paz de espírito, com calma, com um gostar estúpido e absoluto, fácil e quentinho...

Tenho que voltar a ler como deve de ser, vou viajar e conhecer um sitio onde que já queria ir há muito tempo, tenho a minha música comigo, os meus amigos de todas as horas, vai haver muita areia, muitas festas de família quando voltar (os meus 3 irmãos fazem anos em Agosto)...Eu sou optimista como sou morena! =)

domingo, 11 de julho de 2010

All been washed in black tattooed everything


Eu já sabia que ia ser difícil. Mas pelo meio achei que ia conseguir abstrair-me! Juro que houve umas alturas que pensei mesmo "és grande B., não estás a olhar para 45 mil pessoas a procura de uma, estás a ter um comportamento normal...medalha de ouro para ti, you go girl...you can do it"!!!

Assim que o Eddie começou a cantar pronto...descambou! B. cantava, B. pôs-se as cavalitas de amigos simpáticos, B. gritava que o Eddie era lindo, B. sabia as letras todas de cor...e B. fazia isto tudo com as lágrimas a cair. Fantástica!
A J. agarrou-me a mão quando começou os acordes do Black, percebeu 1 segundo depois que tinha de me agarrar pela barriga para os meus bocadinhos não caírem (e eu tinha mesmo a sensação que me ia desfazer) e esteve a agarrar-me o tempo todo. Não me vou esquecer deste gesto. Gestos que só os amigos conseguem. Nem uma palavra de recriminação, nem um "pára de ser parva e aproveita o concerto", nada...calada, a respeitar o meu espaço e a evitar que eu me partisse.

Depois do Black acabou. Chega. And it was the perfect end...

Acho que vou é ganhar uma medalha pelas vezes que digo isto...mas o que é que querem?! Eu esforço-me...mais não consigo nem posso fazer! É esperar que a ausência actue e que o tempo atenue. Que grandessíssima mer**!!!

Á parte destas pequenas tristezas...ADOREI. Pearl Jam foi tudo o que eu esperava e mais. Foi qualquer coisa mesmo...Speechless...

sábado, 10 de julho de 2010

E entramos no 3º dia...


Terceiro e mais esperado. Pearl Jam ao vivo!!!


"Hey...oooh...
Sheets of empty canvas, untouched sheets of clay
Were laid spread out before me, as her body once did
All five horizons revolved around her soul, as the earth to the sun
Now the air I tasted and breathed has taken a turn

Ooh and all I taught her was everything
Ooh I know she gave me all that she wore
And now my bitter hands chafe beneath the clouds
Of what was everything

Oh the pictures have
All been washed in black, tattooed everything
I take a walk outside I'm surrounded by Some kids at play
I can feel their laughter, so why do I sear?

Oh, and twisted thoughts that spin round my head
I'm spinning Oh, I'm spinning
How quick the sun can, drop away...
And now my bitter hands cradle broken glass
Of what was everything

All the pictures had
All been washed in black tattooed everything
All the love gone bad turned my world to black
Tattooed all I see All that I am All I'll be...
Yeah
Uh huh...uh huh...ooh...

I know someday you'll have a beautiful life
I know you'll be a sun in somebody else's sky
But why, why, why can't it be, can't it be mine?

Yeah yeah we, we belong we belong together
Together oooh ooh we, we belong we belong together oh yeah"



Nada mais a acrescentar!

sexta-feira, 9 de julho de 2010

O meu Sumol...

Frases Sumol by B.

- Um dia vais achar que não tens idade para te deitares no chão de um festival e cantar a plenos pulmões...quando esse dia chegar, não lhe fales.

- Um dia vais achar que não tens idade para aprender um novo desporto, que te exija tempo e força...quando esse dia chegar, não lhe fales.

- Um dia vais achar que só podes ir viajar com dias estabelecidos e hotéis marcados, que tudo tem de estar muito bem organizado para não haver surpresas...quando esse dia chegar, não lhe fales.

Com aplicação directa à minha vida.

Optimus Alive ou...devia antes chamar-se Mel Alive?!


Ahahaha...é que só se vê pessoas giras, mas mesmo mesmo giras. Cada um mais xuxu que outro...não tinha reparado no ano passado que isto era assim!!!

Enfim...posta esta divagação (estou com um nível de cansaço que me permite dizer tudo), devo dizer que gostei muito dos concertos de ontem. Não gostei no entanto, do Texas que estava para entrar e por a pulseirinha dos 3 dias...uma fila que, quem entrou antes de nós, disse de 2h, mas claro, como houve rebelião e nós chegamos atrasada (clássico) foram só 40minutos, só.

Chegamos a tempo de ouvir o "you've got the love" dos Florence + The Machine. Corremos à maluca da entrada até a tenda Super Bock e assim que dizemos "ficamos aqui" a vocalista diz "You've got the love?"...foi lindo!!! Seguiu-se The XX...até gostei...mas achei paradinho, pouco a onda do Alive. Mas tem uma musica que eu adorei "Do you mind". Um letra daquelas que fica.

Pronto...La Roux não vou dizer nada. Brutal em palco, mais espaço tivesse a tenda Super Bock mais gente lá ia estar...um show à maneira!! ADOREI todas as músicas. Não conhecia todas, mas vou passar a conhecer brevemente.
Depois de La Roux estava morta, demos um pézinho do Clubbing só para trincar o ambiente e sentamos-nos no chão a ouvir "faith no more". Não tinha noção que os senhores tinham algumas músicas de metal agressivo. Houve lá alturas em que duvidei que ele cantasse o Easy. A passagem foi do género, parar de gritar começar os primeiros acordes do Easy. Eu e a J. sentadas no chão, deitamos-nos para trás a olhar para o céu e a cantar à maluca. Foi o momento...ouvir esta música (que me diz tanta coisa) ao vivo, foi demais.

Claro que agora estou aqui, a babar em cima do teclado e morta de cansaço, sem saber como é que vou sobreviver até Domingo. Mas contente...louca mas feliz! Com algumas dores no externo ainda, mas essas nem sei quando é que me vão passar. Dormi 5h e consegui não parar de sonhar com o mesmo...que Karma! A J. ontem, tão cómica...ameaçou-me que me deixava sozinha nos próximos 3 dias se eu não parasse com o olhar no vazio, acrescentando um "B. isto não é um revival, isto é um novo ano. Um novo Alive!"...á grande!!

E hoje há mais...assim de cor..."macacos do chinês" que eu claro não decorei e chamei elefantes do trapézio (esta minha memória, enfimmm), Gossip, Booka Shade, Pony Club, Buraka Som Sistema e Skunk Anansie... Alive take 2!!

Estou só...

...a acabar de fazer arquivo, com 4h de sono em cima!

Assim que acabar esta magnifica tarefa volto com novidades!!

quarta-feira, 7 de julho de 2010

As minhas amigas acham que não...


...acham que eu estou enganada. Mas eu recuso-me a acreditar e a aceitar que tenha sido.

Não foi amor. Não foi!
Não quer dizer que não tenha sido forte, que não seja ainda (todas as vezes que não consigo evitar), mas recuso-me a chamar-lhe amor. Não chamo. Não foi! Ridículo...

Elas olharam para mim sem me contrariar e sorriram-se complacentemente. A M. perguntou com cara de gozo "então foi o quê?"...e eu não soube responder nem definir. Mas também nunca soube definir até hoje, não é nenhuma novidade. Mas não foi!

Como disse a June hoje e eu assinei em baixo:"Só disse "amo-te" a uma pessoa até hoje. E foi à errada.". E foi há mais de 10 anos atrás quando eu não sabia o que dizia. Não foi!
O amor não é assim, não pode ser. O amor não me trata assim, não é dificil desta maneira, não doi em lugares que eu nem conhecia. Não foi!


"If love be rough with you, be rough with love. Prick love for pricking and you beat love down." W. Shakespeare.

Quote #7


Foi a parte do "catch spiders" que me ganhou...

Loja do cidadão


Alguém pode explicar aos senhores do governo, ou seja quem for que trata do assunto, que as lojas do cidadão existentes não são suficientes para a quantidade de pessoas?

Sinceramente acho ridículo as pessoas terem de tirar dias de férias para irem a loja do cidadão! Isso ou perder horas de trabalho onde podiam estar a produzir para, sei lá...aumentar o PIB por exemplo! "Ah e tal mas podes ir depois de saíres do trabalho porque está aberto até as 19.30h"...ai sim?! Hummm, pois... hoje à hora de almoço metade dos serviços mais importantes já não tinha senhas disponíveis...
Portanto, fui lá hoje a hora de almoço tratar de um assunto rápido, e nos próximos 2 dias vou lá estar as 8.30h da manha para tratar de dois assuntos diferentes. How lovely?!
E eu sei que pode parecer que tenho coisas altamente importantes para tratar, mas não...só preciso de mudar a minha morada. E é um bicho de 7 cabeças...
Para mudar no Cartão do Cidadão tenho que ir lá, depois esperar que me enviem um papel para casa (que pode demorar 1 semana, 1 mês ou 1 ano a chegar) e voltar lá!!! Não entendo estas burocracias inúteis, se a minha morada fiscal já é aquela, qual é a duvida?!
Depois vem a saga Carta de Condução, que tem de estar em concordância com o Cartão do Cidadão...vai buscar impressos para preencher, esperar eternidades (tinha 40 pessoas a frente com apenas duas funcionarias a atender!) e pagar....12€ se for só morada e 24€ se for assinatura ou nome...pergunta parva da minha parte com certeza: Se vamos fazer um cartão novo de qualquer maneira não deveria ser sempre 12€? Porque é que alterar o nome é 12€ mais caro que alterar a morada? I wonder...

É por estas e por outras que já me mudei à mais de um ano e ainda não tive paciência para lá ir.

Já para não falar que vou ter de ir fazer um passaporte novo, e a saga continua...

Já estou para por isto aqui há que tempos...


Pessoalmente ADORO estes anúncios.
Não concordo no entanto que seja com a idade que uma pessoa se torna chato...há pessoas bem jovens que são mais chatas do que algumas pessoas de 70 e muitos anos.
Acho que é mais uma questão de educação do que de idade.

Ou então sou só eu a recusar-me a admitir que um dia próximo, porque sou quase (há quem diga que já sou mesmo) adulta, me vou tornar chata! Não quero acreditar nisto...
Óbvio que sei que existem coisas que mudam com a idade, tornamos-nos mais maduros, mais responsáveis, temos que cuidar de outros e de nós mesmo, começamos a recear coisas que antes ignorávamos por completo...acho um percurso lógico, todos temos de ir por ai senão acabamos por ficar com síndrome de Peter Pan*.

Mas duvido que algum dia me torne chata, que dê importância ao que os outros digam ou pensem de mim e que me reja por normais de conduta pré-estabelecidas. Duvido que algum dia seja uma pessoa normal. Nunca me senti normal até hoje. E se houve alturas em que isso me tornava infeliz, agora gosto de ser diferente, ou melhor aprendi a gostar. Depois de vários anos de infância a tentar ser uma coisa que não era, a tentar que os outros me vissem de outra maneira, um dia acordei de manhã (mais ou menos aos 14 anos) e decidi: 1) Nunca mais vou mentir sobre nada a ninguém e 2) vou ser da maneira que eu quiser ser.
E a estrada foi difícil, tentem lá ser adolescentes rebeldes com uma família "de bem" (péssima expressão mas não sei como definir de outra maneira) como a minha...
Passei por fases que deixaram os meus pais com os cabelos totalmente em pé. De me vestir toda de preto e branco todos os dias, passei para a fase do não-quero-saber-se-faço-depilação-ou-não-quem-gostar-de-mim-gosta-assim-porque-não-quero-saber-da-opinião-de-ninguém (intratável confesso). Depois passei pela fase Resina. Calças largas, correntes, atacadores de cores berrantes, penteados esquisitos e colares de picos...a minha mãe tinha um mal quando me via sair de casa. E como não à fome sem fartura, passei dessa fase para a fase beta, argolas de estrelas, colares de missangas, sapatos de vela e florescentes, muitas coisas florescentes...enfim...demorei até me encontrar. Quando entrei na faculdade tornei-me finalmente, uma pessoa aparentemente normal.

A questão aqui é...eu sou responsável, quando tenho que ser e porque já tenho idade para o ser (por minha vontade continuava na faculdade a receber mesada). Mas sou, para que ninguém me possa chatear, apontar o dedo, nem dizer nada quando eu quero fazer o que bem me apetece. É tudo um bocado a "lei das compensações". Eu sou responsável por mim, sustento-me, trabalho, cuido das minhas coisas para poder fazer aquilo que quiser, quando quiser.
Espero nunca me considerar chata...porque duvido que algum dia deixe de apreciar um grande McBacon em ressaca com 1L de Coca-Cola, que algum dia deixe de me rir as gargalhadas em publico, de dizer palermices, de dançar até o sol nascer, de gastar uma fortuna porque me apetece apanhar um avião e ir não-sei-para-onde, de fazer loucuras por aqueles que gosto.

Não me estou a ver assim...e sou feliz desta maneira. Acima de tudo temos de ser felizes como somos, seja de que maneira seja.



*Sindrome de Peter Pan: É quando alguém se recusa a crescer. O que a certa altura dá nos nervos aos amigos!

terça-feira, 6 de julho de 2010

Quote #6


E ontem voltei a ter a prova disto. Senão fosse o D. a acabar com o meu ataque de parvoeira nem sei...

Temos uma amizade tão perfeita que até tenho medo de estragar!

Not yet...


Ainda está na minha mesa de cabeceira.
Não consigo fazer desaparecer a porcaria do chocolate.

Antes de apagar a luz penso que qualquer dia vai apodrecer ali de tanto esperar. A questão é que não sabe exactamente do que é que está a espera...nem ele, nem eu.

Provavelmente está à espera que a minha obstinação passe! Quando os pus à quatro meses atrás em cima da mesa de cabeceira pensei que não ia ser eu a come-los. A minha veia de miúda mimada estava tão proeminente nesse dia que fiz o clássico do "ai é? ai é? Achas que sim, que é isso que queres, mas vais ver que estás enganado"...claro que, com o tempo, e de cada vez que desistia um bocadinho, ia comendo um. Falta o ultimo!

Mas como eu sou apologista que cada um faz as coisas ao ritmo que sente, vou deixando-o lá ficar...até ao dia que me sentir preparada. O máximo que pode acontecer é que quando me decidir finalmente a come-lo ele já tenha apodrecido...

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Whatever...


The B. is back!


Eu já sei, já sei...vai passar.

E quando dou por mim estou a tua porta.
Não sei como é que lá fui parar porque conscientemente não queria, juro. E quando percebo o que é que estou a fazer digo a mim mesma que só parei para falar ao telemovel.
Não esta ninguém comigo no carro, mas eu prefiro mentir até a mim mesma, é mais fácil. E de repente parece que voltei tudo atrás outra vez, parece que não estou a fazer o que quero e que me estão a obrigar a manter-me longe...sinto os meus dedos a volta do telemovel e escrevo a mensagem que sei que não te vou mandar.
Porque não posso, porque não adianta, porque não há mais nada para dizer (se houvesse tu já tinhas exigido que eu dissesse).

Respiro fundo, ouço uma música (kissing you-des'ree) e sigo...isto vai passar, e não há ninguém mais obstinado do que eu!
Isto vai passar, vai...ou não me chamo B.

Isto irrita-me...


O meu telemóvel está a tentar por-me maluca!

Porque razão estou eu a receber partes de sms de à duas semanas atrás?! E mesmo que ele tivesse maluco, porque é que tinha de ser exactamente esta a sms que me apareceu aqui?! Alguém me explica?!
Porquê hoje?! Hoje que eu tinha decidido voltar a fazer a minha vida normal e sair daqui directa para o ginásio...

Eu não mereço isto.

I have new dreams now


B.: Se me saísse o Euromilhões comprava a Maçã*!
Pai B.: Porque é que haverias de comprar a Maçã? Tens tantos sítios melhores e mais giros...
B.: Mas nenhum tem a mesma carga sentimental que tem a Maçã, nenhum outro sitio significaria o mesmo.
Pai B.: Tens noção do dinheiro que ias gastar para pôr aquilo operacional outra vez?
B.: Pai, eu disse se ganhasse o Euromilhões, acho que dinheiro não ia ser problema. Comprava a Maça e uma mota, claro. E depois ia ter um cão igual ao Dennis e 4 pastores alemães.
Pai B.: E ias ficar sozinha naquela casa enorme?
B.: Não, claro que não...com o tempo já não ia estar sozinha...digo eu!

Só para dizer que é incrível como os nossos sonhos mudam. Há uns anos atrás o meu sonho passava por fazer uma grande carreira internacional, trabalhar 18h por dia e ter um loft em NY ou um apartamento pequenino no centro de Paris.
Há uns anos atrás eu e 3 amigas escrevíamos um blog chamado "O amor mete nojo" (http://oamormetenojo.blogspot.com/) e tudo o que eu queria era ir-me embora daqui, porque o amor metia mesmo nojo e não servia para nada a não ser para confundir as pessoas. A minha mãe costumava gozar comigo e dizer que eu estava a treinar para robot, acrescentando por diversas vezes (quando se chateava comigo) que eu era tão fria e insensível que ia morrer sozinha numa ilha deserta.

Mas eu mudei. Continuo a querer conhecer o mundo, mas já não me quero ir embora de vez. Já não quero não ter nada que me prenda, pelo contrário, cada vez mais tenho coisas que me prendem aqui e cada vez me importo menos com isso. Há uns meses surgiu uma hipótese de ir trabalhar para Londres, e quando começou a ficar real o frio na barriga era mais que muito...o deixar a minha rotina aqui, pensar como ia sobreviver dificilmente sem algumas pessoas, a minha casa, os meus amigos, a minha família e principalmente os meus irmãos. Só o pensar custou-me imenso. Não é que, se surgisse a oportunidade eu não fosse tentar, porque ia, eu sei...simplesmente já não é tudo o que eu mais quero!! I have new dreams now...



*Maçã é a quinta onde passei grande parte a minha infância e adolescência, todos os Verões, praticamente todos os fins-de-semana, natais...enfim...era o sitio preferido do meu avô!


P.S: Será que adivinham qual das 4 autoras do meu ex-blog eu era? Digo só que não sou a "a culpa não é tua, é minha".

domingo, 4 de julho de 2010

Come closer...


"I don't love you anymore. Goodbye."
Como é que ela sabia?!

sábado, 3 de julho de 2010

Quotes #5


Eu achei mesmo que não ia conseguir. Pensei que ia vacilar, que era impossível, que mais dia menos dia por qualquer razão ia voltar atrás e dizer que não queria dizer o que disse.

É verdade. Não queria. Mas disse.

E disse por alguma razão, razão essa que fica mais nítida todos os dias. Todas as noites que me deito a olhar para o meu telemóvel mudo sei que fiz o que tinha de fazer. Todas as manhas que acordo e volto a olhar para ele, lembro-me que é mais um dia para não voltar atrás, que águas passadas não movem moinhos e que estou melhor. Hoje estou mais forte que ontem e amanha vou estar mais que hoje. E com tempo vou esquecer, vou ficar bem e não vai doer mais.

Mas por enquanto, gostava de não ter razão, gostava de não saber, de não conhecer tão bem e de não ter a certeza absoluta que isto vai ser exactamente da maneira que eu previ que fosse...

quinta-feira, 1 de julho de 2010

Quote #4


Não tenho mais nada a acrescentar. É isto...
E se calhar parar de estar a escrever coisas no blog e acabar a apresentação que é para entregar hoje...era bonitinho!!

Sunny days...

Detesto luz artificial e ar condicionado.
Se fosse eu a mandar juro que os horários eram flexíveis. Preferia 1000x entrar as 6h da manhã e poder sair a hora de almoço do que ficar aqui presa.

Odeio sentir-me presa!! Acho que estou a precisar de férias.
Queria ir para o lugar mais longe que encontrasse, esquecer tudo e todos e dormir, dormir, dormir ao sol e tomar banhos de mar. Era feliz, areia e mar e fazem-me feliz.
Muito fácil de contentar a menina!

A. e D. #3

D.: Sabes...acho que não acabou!
B.: Pára com isso. A. diz-lhe para parar.
D.: Não és diferente de ninguém, não podes achar que isto pára assim, quando tu queres e porque tu queres.
A.: Deixa a miúda em paz.
B.: Isso, deixa-me em paz. Estou a fazer o que acho que é melhor para mim.
D.: Não é só vieres-te embora, os outros também tem coisas a dizer. Só pensas naquilo que tu sentes, és egoísta.
B.: Não, não sou. E aparentemente ninguém tem nada a dizer sobre o assunto.
D.: Achas? Não sei...
B.: Pára com isso! Agora! Não quero ouvir!

Pergunta pertinente depois de publicado o ultimo post...

...quantos anos é que eu tenho?!

Não, e não são 14...

Só mais uma coisa...não sou a única!! (Obrigadaaaa)
Só mais outra coisa, o olhar da foto abaixo não se finge. E nem sequer é de nenhum dos filmes a foto é de uma das estreias.

It was perfect, just perfect!


Lindo. Foi tudo aquilo que eu esperava e mais ainda.

Engana-se quem pensa que vai ter imensa acção, e que é um filme de vampiros sangrentos e bla bla bla. É simplesmente um romance. Um grande romance, daqueles amores épicos que não se esquece.

E não me queiram convencer que eles são só bons actores. É impossível! Eu já vi ambos noutros filmes e confesso que não adorei. Eles estão é apaixonados, for real...
Quem sabe a historia sabe que foi ela que o escolheu antes dele ter sequer feito o casting (é o que dizem as más línguas) ele entrou na sala e ela olhou e disse "é ele". A autora do livro escolheu-a a ela, por achar que era perfeita para o papel e ela escolheu o seu par. Desde o primeiro filme que eles têm qualquer coisa, e isso extrapola as cenas do filme e passa para os espectadores uma sensação de amor incondicional que não se explica pelo simples conceito de "bom actor". Não são os beijos ou as frases que vêm no guião, são os olhares, a maneira como eles se tocam, pequenos detalhes que poucos romances de ficção conseguem imitar.

Deve ser por isso que houve palmas no final (outra vez) e suspiros constantes. Eu confesso que saí de lá com os meus níveis de romance a tocar nos píncaros, só via tudo cor-de-rosa (de amor) e vermelho (de paixão)...LOL...Ok, eu sou uma romântica incurável. Mas o filme é perfeito.
E não é lamecha, não é jogo, não é cliché, é só assim porque sim, porque gostam um do outro e faz sentido. Porque "não podemos estar afastados, eu vou ficar preocupada contigo e tu comigo e vamos ficar mais fracos", porque "eu contigo faço sentido"...

E eu sou oficialmente uma pessoa pouco normal - acabei de comprar bilhetes para ir ver hoje outra vez! Posto isto, não há mais nada que eu possa dizer...